Diocese de Friburgo: sim à comunhão aos divorciados

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Manifesto do Laicato em apoio aos bispos que subscreveram a “Carta ao Povo de Deus” com 1440 assinaturas no primeiro dia

    LER MAIS
  • Com mais de 1.500 assinaturas, Padres da Caminhada relançam mensagem de apoio à Carta ao Povo de Deus dos bispos

    LER MAIS
  • “A pandemia viral é o resultado da pandemia psicológica e espiritual”, afirma Gastón Soublette

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


09 Outubro 2013

Na Alemanha, a Igreja Católica dá um passo em direção aos fiéis divorciados que optaram por se casar novamente, aos quais em breve ela irá conceder, no respeito a algumas condições, a possibilidade de receber os sacramentos e de ocupar cargos nos conselhos paroquiais. A mudança de rota vem da diocese de Friburgo, liderada pelo arcebispo Robert Zollitsch, presidente da Conferência Episcopal Alemã.

A reportagem é de Matteo Alviti, publicada no jornal La Stampa, 08-10-2013. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

"Trata-se de tornar visível a atitude humana e respeitosa de Jesus no contato com as pessoas divorciadas e com aquelas que decidiram se casar novamente em uma cerimônia civil", explicou o responsável pelo escritório para a cura de almas de Friburgo, o decano Andreas Möhrle.

"A confiança e a misericórdia de Deus também valem para aqueles cujo projeto de vida fracassou", indicou Möhrle: "Queremos oferecer um lugar aberto para as pessoas envolvidas, onde se possa ouvi-las e acompanhá-las".

A reviravolta veio através de uma carta que tem o caráter de uma diretriz válida para todo o país e que será enviada esta semana aos religiosos da diocese de Friburgo, a segundo maior em extensão da Alemanha. Não se trata de uma revolução: a indissolubilidade do matrimônio não está em discussão. Mas a porta está aberta e a mão está estendida para aqueles que, até agora, eram mantidos do lado de fora. Fora dos cargos na Igreja, longe dos sacramentos.

O novo curso chega no fim de um diálogo interno à Igreja, cerca de seis meses depois do conselho das dioceses em que se havia discutido uma revisão da atitude com relação aos fiéis em segunda união. Foi uma carta assinada por mais de 300 padres da diocese de Friburgo que abriu a questão: os religiosos, que obtiveram um grande apoio dos fiéis, pediram para mudar a disposição de fechamento da Igreja. "Eles pertencem à Igreja", dissera Zollitsch no fim de setembro, em Fulda, por ocasião do encontro da conferência episcopal.

A Igreja alemã se move, portanto, na direção indicada pelo Papa Francisco na entrevista à La Civiltà Cattolica, que Zollitsch havia definido como "um impressionante testemunho de fé".

O arcebispo de Friburgo, desde 2008 na cúpula da Conferência Episcopal Alemã, é considerado um liberal, disposto à mediação, um religioso próximo das pessoas. É conhecido pelo seu compromisso com uma aproximação entre a Igreja Católica e a Igreja Evangélica na Alemanha.

Em 2008, em uma entrevista ao jornal Spiegel, Zollitsch também havia convidado a não abordar a questão do celibato para os religiosos com uma atitude de proibição absoluta: a relação entre o sacerdócio e o celibato, dissera, não é "uma necessidade teológica".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Diocese de Friburgo: sim à comunhão aos divorciados - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV