''Nas reflexões de Francisco, revejo as ideias do cardeal Martini''. Artigo de Massimo Cacciari

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Irã. A história política do país persa, xiita e anti-imperialista

    LER MAIS
  • Com acusação de ambientalistas que trabalham na proteção da Amazônia, "o medo está instalado", diz Libération

    LER MAIS
  • “Do fundo do nosso coração” é um “de profundis”. Ou seja, o Concílio Vaticano II não é opcional

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

13 Setembro 2013

As afirmações de Francisco em sua carta a Scalfari levantam questões de importância teológica capital e de importância capital para a própria forma política da Igreja, até mesmo como figura histórica.

A opinião é do filósofo italiano Massimo Cacciari, ex-prefeito de Veneza, em depoimento publicado no jornal La Repubblica, 12-09-2013. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Eis o texto.

As reflexões do Papa Francisco me parecem retomar as ideias que o cardeal Martini tinha tentado propor a toda a Igreja, em particular com a "Cátedra dos não crentes", ideias em cujo sulco já se move o "Átrio dos Gentios", dirigido pelo cardeal Ravasi.

A grande novidade está no fato de que essa "linha" de pensamento e de ação é hoje assumida pelo próprio pontífice! Não é possível aqui especificar a complexidade dessa "linha". Mas o problema não é redutível a uma dimensão metodológica.

Afirmar que Deus é amor, mais: que Deus é Relação – fórmulas em si mesmas ortodoxas – e afirmar, mais ainda, que a Verdade cristã, sendo própria do Deus-Relação, não pode ser entendida absolutisticamente, ou mesmo – citação de Santo Anselmo – que Deus não é demonstrável com o pensamento, sendo maior do que o próprio pensamento –, tudo isso levanta questões de importância teológica capital e de importância capital para a própria forma política da Igreja, até mesmo como figura histórica.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

''Nas reflexões de Francisco, revejo as ideias do cardeal Martini''. Artigo de Massimo Cacciari - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV