O Índice de Desenvolvimento Humano - IDH no Vale do Sinos

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Instrumentum Laboris do Sínodo para a Amazônia, um novo passo de “um 'kairós' para a Igreja e o mundo”

    LER MAIS
  • “O Judiciário foi usado como vingança e impediu que a democracia siga seu curso”, afirma a antropóloga Lilia Schwarcz

    LER MAIS
  • Padre chileno renuncia pouco antes da ordenação episcopal

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

27 Agosto 2013

Indicadores socioeconômicos e ambientes são essenciais para o planejamento e monitoramento de politicas públicas. O Observatório da Realidade e das Politicas Públicas do Vale do Rio dos Sinos - ObservaSinos, programa do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, tem como compromisso a reunião, sistematização, publicização e análise dos dados referentes aos municípios do Vale do Rio dos Sinos.

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é um dos inúmeros indicadores existentes que apontam dados para diagnosticar a realidade. O IDH compõe as informações do "Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013” que é organizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). Os dados têm como referência o ano de 2010.

O IDH é composto por três categorias de desenvolvimento humano: vida longa e saudável – longevidade da população; acesso ao conhecimento – dados referentes a educação; e padrão de vida – renda.

O índice tem classificação entre zero e um, categorizadas entre os seguintes níveis: desenvolvimento humano "muito baixo" aquelas que pontuam entre 0 a 0,499; desenvolvimento "baixo" entre 0,500 a 0,599; desenvolvimento "médio" entre 0,600 a 0,699; desenvolvimento "alto" 0,700 a 0,799 e desenvolvimento "muito alto" entre 0,800 a 1.

  • Atlas de Desenvolvimento Humano 2013 disponível no site do PNUD
  • IDH dos municípios do Vale do Rio dos Sinos: 1991, 2000 e 2010

A professora da Unisinos Dra. Patrícia Sorgatto Kuyven comenta que a composição do IDH não é a mais adequada, mas a entende como viável. Considerando que precisa ser um indicador de "desenvolvimento humano" e o desenvolvimento humano é, composto por vários aspectos. Por isso, considera a importância deste indicador composto. A professora acrescenta que, em geral, a grande discussão gira em torno de quais os itens compõe o indicador. Na sua opinião “esta será uma eterna discussão, pois além de haver espaço para propor quais os itens adequados de serem incluídos, será necessário adequar também o indicador para que seja viável a coleta dos dados em diferentes locais”. Enfatiza com isso que, além dos itens e pessoas constitutivos do indicador, é necessário encontrar formas de obtenção dos dados, que diferem de locais e países. Patrícia considera que falta um item importante nesta composição do IDH que é a “desigualdade”.

No Vale do Rio dos Sinos os municípios de Araricá e Nova Hartz foram identificados com IDH “médio”, respectivamente os municípios alcançaram IDH de 0,679 e 0,689. Na categoria renda, que compõe o índice os municípios também foram classificados com desenvolvimento “médio”.

Todos os municípios da região do Vale do Sinos foram identificados no item longevidade com desenvolvimento “muito alto. Quatro municípios da região no que se refere a educação foram identificados com “baixo” desenvolvimento, são eles: Araricá, Nova Hartz, Portão e Sapiranga.

Acesse o infográfico

A indagação que podemos fazer com estes dados e considerações, que padrão de desenvolvimento temos em nossos municípios e região e que índices e realidades consideramos necessário para que alcancemos outros patamares de desenvolvimento humano?

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O Índice de Desenvolvimento Humano - IDH no Vale do Sinos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV