Compartilhar Compartilhar
Aumentar / diminuir a letra Diminuir / Aumentar a letra

Notícias » Notícias

Black Blocs. Ação condenável ou legítima?

“A interpretação de que os black blocs são meros grupos de vândalos é equivocada. Constituem-se como grupo político, agem como grupo político e sua ação possui fundamentação teórica e política. Aceitar ou não os métodos dos Black blocs é outra coisa”. O comentário é de Cesar Sanson, professor de sociologia na Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN.

Eis o artigo.

Nas últimas semanas aumentaram as batalhas de rua em São Paulo e no Rio entre os black blocs e a polícia militar. Os black blocs fazem da ação direta a sua estratégia política e visam atingir sobretudo estruturas físicas do capital e do Estado -  estilhaçam vidraças de bancos e picham prédios públicos, símbolos do poder.

De clara inspiração anarquista, os grupos black blocs identificam no Estado e no Capital a violência contra a sociedade. Para os black blocs, a violência está na ação do capital e do Estado e não na ação destrutiva simbólica por eles praticada. A performance destrutiva é uma concepção política, uma ação pedagógica e politizadora para o conjunto da sociedade.

Tapumes protegendo as fachadas de bancos, shoppings e prédios públicos fazem a população se perguntar: Do que se protegem?

A ação direta e virulenta dos black blocs remonta os anos 60, porém, ganharam visibilidade nos protestos contra a OMC em Seattle, naquela que ficou conhecida como a ‘Batalha de Seattle’ (1999) e depois em Genova (2001) por ocasião do encontro do G7 – que vitimou o ativista Carlo Giuliani – primeiro mártir do movimento antiglobalização.

Os encontros da OMC, do FMI, do G7 e do Banco Mundial são alvos dos black blocs - identificados como poderes paraestatais que subordinam os povos do mundo.

A interpretação de que os black blocs são meros grupos de vândalos e baderneiros é equivocada. Constituem-se como grupo político, agem como grupo político e sua ação possui fundamentação teórica e política.  Aceitar ou não os métodos dos Black blocs é outra coisa.

Utilizando-se de uma hermenêutica foucaultiana, os black blocs exercem a biopolitica contra o biopoder .

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Cadastre-se

Quero receber:


Refresh Captcha Repita o código acima:
 

Novos Comentários

"Névio, acho que, diferentemente de você, Pedro R. de Oliveira entendeu o mote e o artigo! Veja: ht..." Em resposta a: Fé e Política: urge repensar
"Destruir muros e aproximar pessoas no caminho evangélico da Misericórdia é a Mensagem de Bergogli..." Em resposta a: Argentina. Padres que atuam nas favelas e Geração Francisco denunciam uma “brutal campanha” contra o Papa
"A leitura do artigo nos remete a um trecho do discurso Oração aos Moços, de Rui Barbosa, quando c..." Em resposta a: A falta de vergonha e a ausência de culpa na corrupção brasileira. Artigo de Leonardo Boff

Conecte-se com o IHU no Facebook

Siga-nos no Twitter

Escreva para o IHU

Adicione o IHU ao seus Favoritos e volte mais vezes

Conheça a página do ObservaSinos

Acompanhe o IHU no Medium