Francisco da “carne de Cristo”

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • 'Por uma teologia do acolhimento e do diálogo, do discernimento e da misericórdia', segundo o papa Francisco

    LER MAIS
  • Usada por Moro e Dallagnol, tese de alteração das mensagens está cada vez mais fraca

    LER MAIS
  • “Quem disser ‘amo a Deus’, mas odeia o irmão, é mentiroso”. Entrevista com Leonardo Boff

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Jonas | 29 Julho 2013

“Você já sabe qual foi o fim dos profetas e do profeta de Nazaré. É o preço que os defensores das vítimas costumam pagar. Tenha cuidado, Papa bom e risonho, porque os algozes não perdoam”, recomenda José Manuel Vidal ao papa Francisco (na foto, ao centro), em artigo publicado em seu blog Rumores de Angeles, 26-07-2013. A tradução é do Cepat.

 
Fonte: http://goo.gl/lX1ONR  

Eis o artigo.

O papa dos pobres no epicentro da pobreza. Francisco na Rocinha, cheirando a miséria, pisando pobreza. Com o coração de pai e pastor exausto. Nas periferias. Aqui, onde se apalpa a indignidade, fruto da injustiça. Na Rocinha para comungar com a carne de Cristo, assim como chama os pobres.

Para deixar claro aos poderes do mundo que sua Igreja, a Igreja de Francisco, não os deixarão jogados, dará a cara por eles. E não apenas com boas palavras, porque obras são amores e as palavras aliviam, mas apenas os atos salvam.

Francisco se expõe muito. Os grandes poderes já o tem jurado. Não suportam que uma autoridade moral planetária os coloque em evidência. Já começam a chamá-lo de agitador. Já começam a dizer que alastra fumaça populista e demagogia.

Amarre os machos, Papa dos pobres, pois estes não vêm com desculpas. Pobre Papa, crucificado duas vezes: dentro pelos cúmplices e fora pelos demônios planetários que nadam em ouro e abundância à custa da miséria de seus irmãos.

Você já sabe qual foi o fim dos profetas e do profeta de Nazaré. É o preço que os defensores das vítimas costumam pagar. Tenha cuidado, Papa bom e risonho, porque os algozes não perdoam.

Contudo, você sabe muito bem que os pobres só têm a Deus e você. Os pobres que são, como diziam os santos padres, vigários de Deus. E você, vigário dos pobres.

Você é o destino. A providência o escolheu. Deus o chamou para dar voz aos jogados nas sarjetas da vida. Você será seu anjo. Não deixe nunca de escutar os gritos desgarrados do povo que sofre e chora em silêncio, sem sair nos meios de comunicação. Deem-lhes visibilidade, assim como o casal que o acolheu na Rocinha lhe pediu.

Sacode com seus gritos nossas consciências adormecidas. Não nos deixe em paz. Coloque todas as suas categorias do amor em marcha e em posição de combate. Porque somente assim seremos dignos seguidores do Nazareno. Apenas assim seremos bons samaritanos. Francisco, não deixe que os pobres se afoguem em meio ao silêncio dos bons. Porque este silêncio os condena.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco da “carne de Cristo” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV