OIT alerta sobre crescimento do desemprego de jovens

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “Vejo um novo comunismo, distante do comunismo histórico, brotar do vírus”. Entrevista com Slavoj Žižek

    LER MAIS
  • Um tempo de grande incerteza. Entrevista com o papa Francisco

    LER MAIS
  • “Uma catástrofe no século XXI, a menos que a humanidade mude subitamente de rumo”. Entrevista com John Bellamy Foster

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


09 Mai 2013

A taxa de desemprego entre jovens deve atingir, neste ano, 12,6% da população mundial que tem entre 15 e 24 anos. Isso representa cerca de 73,4 milhões de pessoas. Os dados, divulgados nesta quarta-feira, 8, pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), mostram que a cifra representa um incremento de 3,5 milhões entre 2007 e 2013 e que a taxa volta a ficar perto dos níveis alcançados no pior momento da crise econômica em 2009.

A informação é publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 09-05-2013.

Segundo o relatório Tendência Mundiais do Emprego Juvenil 2013 - Uma Geração em Perigo, embora existam diferenças regionais, a taxa de desemprego juvenil em nível mundial continua crescendo e deve alcançar 12,8% em 2019, anulando os progressos alcançados no começo do período de recuperação econômica.

"Esses números evidenciam a necessidade de focarmos em políticas que promovam o crescimento, a melhoria da educação e os sistemas de qualificação, além do emprego juvenil", afirmou, em nota, José Manuel Salazar-Xirinachs, Subdiretor Geral de Políticas da OIT.

No ano passado, a taxa de desemprego juvenil mais alta foi registrada no Oriente Médio, onde 28,3 % dos jovens estavam desempregados. As projeções atuais apontam que a cifra pode chegar em 30% em 2018 na região.

Para Salazar-Xirinachs, os chamados empregos seguros, que eram norma para as gerações anteriores - pelo menos nas economias avançadas - são menos acessíveis para os jovens de hoje. "O crescimento do trabalho temporário ou a tempo parcial sugere que este tipo de trabalho é frequentemente a única opção para os trabalhadores jovens", explicou.

Segundo o relatório, os jovens mais vulneráveis ao desajuste profissional incluem, particularmente, as mulheres que já tenham sido desempregadas. Os dados disponíveis registraram em 2012 uma diferença de 5 pontos entre a taxa de desemprego entre os homens jovens, de 10,9%, e as mulheres jovens, de 15,9%. Essa diferença aumentaria até 2018, quando a taxa entre os homens chegaria a 11,3%, diante de 17% das mulheres.

O documento da OIT faz um apelo aos governos para que realizem ações específicas e imediatas para combater a crise do emprego juvenil. O relatório, no entanto, destaca que não existe uma solução "única para todos".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

OIT alerta sobre crescimento do desemprego de jovens - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV