“Fico em Santa Marta para não me isolar”, diz o Papa Francisco

Revista ihu on-line

Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

Edição: 507

Leia mais

Os coletivos criminais e o aparato policial. A vida na periferia sob cerco

Edição: 506

Leia mais

Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

Edição: 505

Leia mais

Mais Lidos

  • A morte anunciada (e nunca ocorrida) do neoliberalismo. Artigo de Roberto Esposito

    LER MAIS
  • “Sinto-me o cardeal de Romero. Ele é um ícone da Igreja”, afirma novo purpurado de El Salvador

    LER MAIS
  • A técnica avança rápido demais e vai mudar nossa alma. Entrevista com Gianfranco Ravasi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Por: André | 05 Abril 2013

O Papa Bergoglio confirmou a um amigo sacerdote que em dezembro visitará a Argentina e lhe explicou a razões pelas quais não mora nos aposentos do Papa e fica na Casa Santa Marta, a residência vaticana na qual se alojaram os 115 cardeais eleitores do Conclave e onde podem almoçar com os outros e compartilhar notícias e comentários.

A reportagem é de Andrea Tornielli e publicada no sítio Vatican Insider, 05-04-2013. A tradução é do Cepat.

O Papa Francisco, no domingo da Páscoa pela tarde, telefonou para Jorge Chichozola, pároco da Igreja dos Santos Mártires, em Posadas. “Me telefonou às 15h10 para me dar os parabéns pelo meu aniversário. Eu atendi porque imaginei que fosse ele porque, às vezes, também ligava um antes para ter certeza de que a linha estaria desocupada, e me disse: Como estás?”, relatou Chichizola à Rádio LT4 Red Ciudadana, ao mesmo tempo em que garantiu que já havia conversado por telefone com Bergoglio horas antes de ser consagrado Papa, no mês passado.

O sacerdote argentino, companheiro de ordenação sacerdotal do novo Papa, disse que Francisco confirmou a viagem para a Argentina para dezembro, e teria acrescentado que continuará a “lembrar-se de seus amigos”.

Durante a conversa telefônica, acrescentou o sacerdote, o Papa lhe confirmou que permanecerá na residência Santa Marta do Vaticano e que não irá utilizar o apartamento pontifício. Francisco “considera que é bom compartilhar a mesa, as notícias, os comentários e não ficar isolado”, comentou. Quando lhe mostraram as instalações do apartamento papal, Francisco disse: “Isto é muito grande para mim”. “Também disse – conta Chichizola – que estava deixando os guarda-costas loucos, porque é de se aproximar das pessoas, mas que já estavam se acostumando”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - “Fico em Santa Marta para não me isolar”, diz o Papa Francisco