Movimento sindical de trabalhadores rurais rejeita parceria com MST e Via Campesina

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Biden e o Papa – a lista negra da Igreja nos Estados Unidos e o futuro do catolicismo. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • O declínio da Teologia da Libertação: uma releitura de 'O novo rosto do clero' de Agenor Brighenti

    LER MAIS
  • Liturgia e sinodalidade. Questões-chave

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


08 Março 2013

Os trabalhadores rurais que estão reunidos em Brasília rejeitaram ontem (7) proposta de fazer parcerias com o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), com a Via Campesina e com outros movimentos. O objetivo é fortalecer a atividade sindical do MSTTR (Movimento Sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais).

A informação é publicada pela Agência Brasil, 08-03-2013.

A decisão foi aprovada durante votação do documento de trabalho do 11º Congresso Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, que está sendo realizado em Brasília pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).

No entanto, foi mantida a decisão que prevê a “superação do corporativismo no MSTTR, que deve praticar a solidariedade, a visão de classe, a luta geral do povo pela emancipação coletiva”, que segundo o documento, “deu origem ao próprio sindicalismo no país”.

O documento alerta os dirigentes sindicais para que tratem “com maturidade a convivência [de natureza] partidária, diferenciando os interesses e colocando em primeiro lugar as metas do MSTTR”, classificado pelos seus integrantes como “mais amplo e representativo” da categoria dos trabalhadores rurais.

A assembléia firmou também a posição de que o MSTTR se destina a representar, articular, orientar e defender os interesses e direitos dos trabalhadores rurais, protagonizar a luta sindical classista, democrática e emancipatória, pela unicidade sindical, e construir políticas para o desenvolvimento rural sustentável e solidário, que assegure a inclusão e a qualidade de vida e trabalho no campo.

Também foi aprovada a tese de formação do orçamento participativo, que “será implementado efetivamente após o 12º Congresso da Contag [que se realizará daqui a quatro anos] e será destinado a fortalecer as entidades sindicais e potencializar o processo formativo de base”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Movimento sindical de trabalhadores rurais rejeita parceria com MST e Via Campesina - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV