Frases do dia

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O cardeal filipino Luis Antonio Tagle, a reforma da Igreja e o próximo pontificado

    LER MAIS
  • Bartomeu Melià: jesuíta e antropólogo evangelizado pelos guarani (1932-2019)

    LER MAIS
  • “30% dos eleitos para serem bispos rejeitam a nomeação”, revela cardeal Ouellet, prefeito da Congregação para os Bispos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

05 Março 2013

Ditadura

“Vivemos uma ditadura gay” - - Marco Feliciano, pastor e deputado federal - PSC-SP) – ao ser eleito ontem pela bancada do seu partido para assumir a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Luther King

"Quero lembrar a todo mundo que um dos maiores nomes dos direitos humanos do mundo foi também um pastor: o pastor Martin Luther King. Era um pastor pentecostal como eu. E foi um grande representante, um cristão convicto. E por que essa história não pode se repetir?" - Marco Feliciano, pastor e deputado federal - PSC-SP) – ao ser eleito ontem pela bancada do seu partido para assumir a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Negro e pastor

“Sou pastor e prego para pessoas de todas as etnias. Nunca, nem antes nem depois desse episódio, fui considerado racista, inclusive porque corre em minhas veias sangue negro também. Amo o continente africano. Sou querido pelo povo de Angola, onde fiz trabalhos” - Marco Feliciano, pastor e deputado federal - PSC-SP) – ao ser eleito ontem pela bancada do seu partido para assumir a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Minha fé

“Sobre homossexuais, minha posição é mais tolerante do que se pode imaginar. Como cristão, aprendi no Evangelho que somos todos criaturas de Deus. Nunca me dirigi a nenhum grupo de pessoas com desrespeito. Apenas ensino o que aprendi na Bíblia, que não aprova a relação sexual nem o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo. Fora isso, a salvação está ao alcance de todos. Essa é a minha fé - só prego o amor e o perdão” - Marco Feliciano, pastor e deputado federal - PSC-SP) – ao ser eleito ontem pela bancada do seu partido para assumir a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Índice Universal

“A notícia de que Edir Macedo entrou para a lista de bilionários da revista Forbes dá uma boa noção do poder aquisitivo da nova classe média brasileira: sobra cada vez mais dinheiro para o dízimo no salário do trabalhador” – Tutty Vasques, humorista – O Estado de S. Paulo, 06-03-2013.

Inimigo público

“O deputado Marco Feliciano é um inimigo público e declarado de minorias estigmatizadas e tem um discurso público que estimula a violação da dignidade humana desses grupos” – Jean Wyllys, deputado federal – PSOL-RJ – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Noé

“Como pode presidir uma comissão de direitos humanos e minorias um deputado que disse que o problema da África negra é "espiritual" porque "os africanos descendem de um ancestral amaldiçoado por Noé", revivendo uma interpretação distorcida e racista da Bíblia, que já foi usada no passado para justificar a escravidão dos negros?” – Jean Wyllys, deputado federal – PSOL-RJ – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

'Câncer gay'

“Como pode presidir uma comissão de direitos humanos e minorias um deputado que se referiu à Aids como "o câncer gay"? Um deputado que defende um projeto de lei para obrigar o Conselho Federal de Psicologia a aceitar supostas "terapias de reversão da homossexualidade" anticientíficas e baseadas em preconceitos” – Jean Wyllys, deputado federal – PSOL-RJ – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Pais e mães de santo

“Um deputado que quer criminalizar o povo de terreiro e enviar pais e mães de santo à cadeia por rituais religiosos que estão presentes nos mesmos capítulos da Bíblia que ele usa para injuriar os homossexuais? Ele lê a Bíblia com um olho só” – Jean Wyllys, deputado federal – PSOL-RJ – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Cristianismo

“Eu me formei num cristianismo que acolhe os diferentes, respeitando sua dignidade. Eu me apaixonei na juventude por esse cristianismo que deu origem à Teologia da Libertação, que participou da luta contra a ditadura e que nos deu grandes referências. O PSC, lamentavelmente, não tem nada a ver com isso. E Marco Feliciano menos ainda!”– Jean Wyllys, deputado federal – PSOL-RJ – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Contradição

“Que ele seja o novo presidente da comissão é uma contradição: é como colocar à frente das políticas contra a violência de gênero um cara que bate na mulher”– Jean Wyllys, deputado federal – PSOL-RJ – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Reforma agrária

"Eu vou acelerar a reforma agrária com terra de qualidade. Eu quero todo mundo cadastrado para ganhar terra" - Dilma Rousseff, presidente da República, no 11º Congresso Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Pessimismo

“Há um excesso de pessimismo no ar, agora mais estimulado pela lamentável antecipação da campanha eleitoral. Ela introduz um viés político na análise que dificulta o acordo sobre o que se deve fazer para recuperar um crescimento mais robusto sem pressionar a taxa de inflação” – Antonio Delfim Netto, economista – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

W

“A nossa saída da crise de 2008, que parecia um V, está mais para um W” – Antonio Delfim Netto, economista – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

1/4

“Já consumimos quase 1/4 do ano de 2013, mas ele ainda não está escrito nas estrelas: será o que, em cooperação, governo e setor privado souberem e fizerem dele!” – Antonio Delfim Netto, economista – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Social

“Durante seu (Hugo Chávez) governo, a estatal petrolífera PDVSA destinou US$ 123,7 bilhões para programas sociais. Só em 2011 foram US$ 39,6 bilhões, mais que o desembolsado naquele ano pelo programa Bolsa Família, do Brasil, cuja população é quase seis vezes maior” – editorial “Hugo Chávez” – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Para baixo

"A força do chavismo não está na eficácia para governar, mas no fato de que o regime mudou a orientação dos benefícios da renda do petróleo na Venezuela. Antes, esta se distribuía mais para cima do que para baixo. Chávez abriu espaços de inclusão social para os mais pobres, gerou opções de enriquecimento para novas elites e propiciou a esses setores identidade política e poder. Isso mudou a Venezuela para sempre" – Joaquim Villalobos, analista político – Folha de S. Paulo, 06-03-2013.

Inimigos na trinheira

“Inicio esta carta aberta te repetindo o que disse pessoalmente quando te visitei: como seria bom, face a tua história de militância, te receber de volta ao partido de braços abertos! Infelizmente, porém, quanto mais leio tuas declarações, mais me convenço de que o teu retorno não seria construtivo para o nosso partido. Já temos inimigos na trincheira de sobra” – Vieira da Cunha, deputado federal – PDT-RS, em carta enviada a Carlos Araújo, ex-deputado – Zero Hora, 06-03-2013.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Frases do dia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV