Vale tudo para cumprir a meta de superávit primário?

Revista ihu on-line

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Mais Lidos

  • Comunhão na Igreja dos EUA ''já está fraturada''. Entrevista com Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Vozes que desafiam. A vida de Simone Weil marcada pelas opções radicais

    LER MAIS
  • A disrupção é a melhor opção para evitar um desastre climático, afirma ex-presidente irlandesa

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Cesar Sanson | 08 Janeiro 2013

Nesta semana, diversos jornais noticiaram os artifícios utilizados pelo governo para tentar atingir a meta de “superávit primário”, ou seja, a reserva de recursos para o pagamento da dívida pública.

A reportagem é publicada pelo sítio da Auditoria Cidadã da Dívida, 07-01-2012.

Nos últimos dias de 2012, o Tesouro Nacional lançou mão de R$ 15,8 bilhões de recursos provenientes do “Fundo Soberano”, Caixa Econômica Federal e BNDES para engordar o “superávit primário”. Tudo foi feito por “portarias” cuja regularidade deve ser devidamente verificada.

Em primeiro lugar, cabe ressaltar o enorme privilégio da dívida, que até o dia 29 de dezembro, já havia consumido R$ 739 bilhões para o pagamento de juros e amortizações da dívida federal, conforme dados da contabilidade oficial (SIAFI).

É evidente que o problema do país é esse endividamento público não transparente e sem contrapartida, que precisa ser completamente auditado. Evidentemente, a grande mídia financiada pelo poder financeiro tem outra abordagem e aponta os “gastos públicos” como os vilões das contas públicas.

Nos últimos dias do ano, foram divulgados dados sobre o pagamento de taxas de juros pelo Tesouro Nacional que alcançaram 45,1% em 2012, apesar da enorme propaganda de que a taxa Selic está caindo. É urgente a completa auditoria dessa dívida.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Vale tudo para cumprir a meta de superávit primário? - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV