Dilma afirma que governo está empenhado na proteção a dom Pedro Casaldáliga

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Padres despedaçados. Artigo de Pietro Parolin

    LER MAIS
  • Na igreja do Papa Francisco, os movimentos estão parando

    LER MAIS
  • Abusos, sínodo e a falsa prudência

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 19 Dezembro 2012

Nesta terça-feira, 17 de dezembro, durante solenidade no Palácio do Itamaraty, em Brasília (DF), a presidente Dilma Rousseff declarou que a defesa dos direitos humanos é um assunto importante não apenas para seu governo, mas uma preocupação pessoal, por ser parte de uma geração que teve a liberdade restrita pelo Estado.

A reportagem é de Luana Lourenço e publicada pela Agência Brasil, 18-12-2012.

“O assunto, além de ser importante nacionalmente, me comove porque a minha geração sentiu na carne o abuso de poder, a truculência do Estado, e sabe como é importante, fundamental, o respeito pelos direitos humanos e, mais do que isso, sabe que esse é o pilar fundamental de uma sociedade”, disse Dilma em discurso durante a entrega do 18º Prêmio Direitos Humanos.

Após entregar o prêmio a 17 personalidades e entidades homenageadas nesta edição, Dilma pediu que os premiados não se deixem abater e continuem lutando em defasa dos direitos humanos. “Sei que a luta é difícil, sei que impõe sacrifícios, sei que às vezes é incompreendida e sei que nem sempre é conhecida e reconhecida e muitas vezes não é apoiada. Sei que em muitos momentos, cada um de vocês se sente só, como se tivesse enfrentando moinhos de vento intransponíveis, mas este prêmio e esta homenagem servem para dizer duas coisas: primeiro, que vocês não estão sós e, segundo, que vocês conseguiram que, até aqui, vocês foram vitoriosos”, disse.

O prêmio é entregue pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República a pessoas e entidades que tenham se destacados na promoção dos direitos humanos em todo o país. Entre os premiados desta edição, estão os bispos dom Pedro Casaldáliga e dom Tomás Balduíno, reconhecidos com uma homenagem especial pela defesa de direitos dos índios.

Dom Tomás Balduíno, fundador do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e bispo emérito de Goiás, continua trabalhando em defesa de comunidades indígenas. Dom Pedro Casaldáliga é conhecido pelo trabalho em comunidades indígenas na região de São Félix do Araguaia (MT). Ele recebeu diversas ameaças de morte por atuar em defesa dos índios da região e teve que ser retirado de sua casa para local desconhecido depois que uma decisão judicial a favor dos índios xavantes tornou o clima mais tenso no município matogrossense.

Durante o discurso, a presidente disse que o governo está trabalhando para garantir a proteção do religioso. “Dom Pedro Casaldáliga e dom Tomás Balduíno são dois homens que o Brasil aprendeu a admirar e dos quais eu me orgulho de ser contemporânea. Faço questão de informar que o Estado se manterá dedicado com todos os meios de forças policiais e civis disponíveis para garantir sua segurança e proteção”, declarou.

Os ministros das Relações Exteriores, Antonio Patriota, da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, também participaram da premiação.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Dilma afirma que governo está empenhado na proteção a dom Pedro Casaldáliga - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV