Democracia foi respeitada, diz dom Paulo

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Arcebispo de Ribeirão Preto visita no hospital a Dom Pedro Casaldáliga, “um ícone no Brasil”

    LER MAIS
  • Rio Grande do Norte. Seridó ameaçado

    LER MAIS
  • Francisco nomeia seis mulheres para grupo que supervisiona as finanças vaticanas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


01 Dezembro 2012

Em carta escrita a mão, endereçada à "comunidade da PUC", o cardeal dom Paulo Evaristo Arns, 90, arcebispo emérito de São Paulo, diz que "a democracia foi respeitada" na escolha da nova reitora.

"Por seguir, com espanto, os acontecimentos em nossa tão respeitada PUC-SP, devo concluir para o bem de todos: a democracia [sublinhada] foi respeitada, pois o cardeal dom Odilo Pedro escolheu um dos três professores da lista tríplice", escreve.

A informação é publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 01-12-2012.

Dom Paulo é um dos mais conhecidos militantes da democracia e dos direitos humanos no país e teve atuação destacada durante a ditadura militar (1964-84), quando saiu em defesa de presos políticos e denunciou a tortura.

A sua intervenção ocorre no momento em que a oposição à posse da reitora Anna Cintra acusa dom Odilo de ter ferido a democracia na universidade ao nomear a terceira colocada na eleição.

Ele foi arcebispo de São Paulo de 1970 a 1988 e foi grão-chanceler da PUC.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Democracia foi respeitada, diz dom Paulo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV