Encontro de religiosas da LCWR e representantes do Vaticano foi ''aberto e cordial''

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Instrumentum Laboris do Sínodo para a Amazônia, um novo passo de “um 'kairós' para a Igreja e o mundo”

    LER MAIS
  • “Minha filha trans e católica é uma prova viva de como o Vaticano está errado em relação ao gênero”

    LER MAIS
  • Anule-se tudo que aconteceu a partir da criação da Lava Jato

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Dezembro 2012

Um encontro entre as lideranças das irmãs católicas dos EUA e três bispos norte-americanos indicados pelo Vaticano para inspecionar a principal organização representativa das religiosas foi "aberta" e "cordial", disse o grupo em um comunicado do dia 12 de novembro.

A reportagem é de Joshua J. McElwee, publicada no sítio do jornal National Catholic Reporter, 12-11-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Quatro autoridades da Leadership Conference of Women Religious (LCWR), que representa cerca de 80% das religiosas de todos os Estados Unidos, reuniram-se no dia 11 de novembro com o arcebispo Peter J. Sartain, de Seattle; com Dom Thomas Paprocki, bispo de Springfield, Illinois; e com Dom Leonard Blair, bispo de Toledo, Ohio.

Sartain, que se reuniu previamente com a diretoria da LCWR após o encontro anual do grupo em agosto, foi nomeado pelo Vaticano em abril para ser o "arcebispo delegado" do grupo. Paprocki e Blair foram nomeados como seus assistentes no processo.

Em um relatório formal anunciando a medida no dia 18 de abril, conhecido como "avaliação doutrinal", a Congregação para a Doutrina da Fé do Vaticano alegou que havia uma "prevalência de certos temas feministas radicais" nos programas da LCWR. Ele dava autoridade para Sartain rever os estatutos da LCWR e rever seus planos e programas.

As lideranças da LCWR discordaram do retrato vaticano do seu grupo, dizendo em junho que ele surgiu a partir de um processo falho, causando "escândalo e dor por toda a Igreja". Elas também tentaram iniciar um processo de diálogo sobre o assunto.

O encontro de domingo, a primeira vez em que as lideranças da LCWR se encontraram pessoalmente com todos os três bispos inspetores, provavelmente proporcionou uma oportunidade para que ambos os grupos determinassem se esse diálogo era possível.

Embora Sartain tenha sido comedido nas declarações sobre seu o papel junto à LCWR, dizendo em uma entrevista de junho com o NCR que ele quer "construir relacionamentos", Paprocki e Blair foram mais francos.

Blair, que se encarregou da "avaliação doutrinal" que levou à revisão da LCWR, alegou em uma entrevista de junho no programa Fresh Air da rede NPR que as irmãs estão "promovendo, de forma unilateral, um novo tipo de teologia que não está de acordo com a fé da Igreja".

A declaração da LCWR do dia 12 de novembro foi feita em conjunto por Sartain e pela irmã franciscana Florence Deacon, presidente da LCWR.

Ela foi divulgada dois dias depois que a irmã franciscana Pat Farrell, ex-presidente imediata do grupo, foi homenageada no dia 10 pelo grupo nacional de reforma da Igreja Call to Action no seu encontro anual.

Ao aceitar o Prêmio de Liderança da Call to Action, entregue a ela e às lideranças da LCWR, Farrell agradeceu aos muitos leigos e leigas católicos que manifestaram o seu apoio ao grupo.

Desde abril, esse apoio para as irmãs tem sido generalizado, com vigílias realizadas em várias cidades do país, editoriais de apoio escritos em inúmeras publicações nacionais e até mesmo com a autoria de duas resoluções do Congresso expressando a "mais profunda apreciação" pelo trabalho das irmãs.

"A solidariedade de vocês com as religiosas tem sido extremamente significativa para nós e para a Igreja", disse Farrell no encontro da Call to Action, em Louisville, Kentucky.

"Por isso, por favor, ouçam na minha própria expressão de gratidão as vozes de milhares de religiosas em todo o país, que apreciam muito os seus gestos de encorajamento: vigílias, orações, cartas. Vocês se pronunciaram. Vocês permaneceram conosco. Vocês nos afirmaram e nos fortaleceram, e isso fez toda a diferença".

O encontro do dia 11 de novembro entre a LCWR e os três bispos ocorreu em Baltimore às vésperas do encontro anual dos bispos norte-americanos, que seria realizado entre os dias 12 e 14 de novembro.

A seguir, publicamos a declaração completa da LCWR:

O arcebispo J. Peter Sartain e a presidente da LCWR, Ir. Florence Deacon, OSF, emitiram a seguinte declaração:

Os três bispos delegados da Congregação para a Doutrina da Fé, o arcebispo J. Peter Sartain, o bispo Leonard P. Blair, e o bispo Thomas John Paprocki; a presidência da Leadership Conference of Women Religious (LCWR), a Ir. Florence Deacon, OSF; a Ir. Pat Farrell, OSF; a Ir. Carol Zinn, SSJ; e a diretora executiva da LCWR, Ir. Janet Mock, CSJ, se reuniram no domingo, 11 de novembro, para discussões preliminares sobre a avaliação doutrinal da LCWR por parte da Congregação para a Doutrina da Fé.

O debate foi aberta e cordial, e os presentes concordaram em se reunir novamente para continuar a conversa.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Encontro de religiosas da LCWR e representantes do Vaticano foi ''aberto e cordial'' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV