Vitória de Fruet projeta Gleisi e ameaça reeleição de Richa

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Nota de apoio ao Padre Edson Adélio Tagliaferro. Mais de cem padres já assinaram

    LER MAIS
  • Bem comum e justiça social: agora mais do que nunca. Manifesto de mais 110 bispos, arcebispos e cardeais

    LER MAIS
  • Aquele vírus entre Darwin e Marx

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


29 Outubro 2012

Pela segunda vez na história, o Paraná terá um governador de sobrenome Richa e um Fruet na prefeitura da capital. Em 1983, eram José Richa e Maurício Fruet. A partir de janeiro de 2013, serão seus filhos, Beto Richa (PSDB) e Gustavo Fruet (PDT). Os dois primeiros eram aliados. Os outros dois estão com as relações estremecidas desde que o atual governador optou por apoiar seu ex-vice e atual prefeito, Luciano Ducci (PSB), que foi derrotado já no primeiro turno. Sem espaço no PSDB, o ex-deputado federal Gustavo Fruet trilhou outro caminho, mudou de partido e foi eleito com 60,65% dos votos.

A reportagem é de Marli Lima e publicada pelo jornal Valor, 29-10-2012.

A sucessão familiar não é novidade em Curitiba. Nomes tradicionais fazem revezamento no poder. O que há de novo, desta vez, é a maior aproximação do PT do poder na capital paranaense. Depois de tentativas frustradas de eleger um prefeito na cidade, o PT decidiu apoiar Fruet e indicar sua vice, a advogada Miriam Gonçalves. Os principais cabos eleitorais do futuro prefeito foram o casal de ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Paulo Bernardo (Comunicações).

Gleisi, nome mais cotado para concorrer ao governo do Estado em 2014, disse ontem, ao lado de Fruet, que a aliança que o PT fez com o PDT em Curitiba só é válida para 2012. "Em 2014 teremos outro momento, outra construção, outra situação política. Não podemos confundir. Temos de ter foco", afirmou. A ministra também evitou considerar a eleição de Fruet como uma vitória pessoal. "É uma vitória de um campo político. Primeiro, uma vitória do candidato, mas não há vitórias pessoais, ninguém ganha sozinho."

Sem Ducci na prefeitura e com Fruet ligado a Gleisi, Richa terá mais trabalho na campanha de reeleição daqui a dois anos. Após o resultado, o tucano divulgou nota para informar que os partidos que formam a base de apoio do governo elegeram 75% dos 399 prefeitos do Estado - o PSDB ficou com 78.

"O propósito era prestigiar todos os aliados, sem favorecimentos e sem discriminações. E fomos vitoriosos", declarou o governador. Logo após a vitória de Fruet, ele postou no twitter a seguinte mensagem: "A vontade do eleitor está registrada nas urnas" e depois acrescentou que a "disposição é trabalhar em sintonia e cooperação administrativa".

O futuro prefeito tem 49 anos, é formado em Direito e possui mestrado em Direito Público e doutorado em Direito das Relações Sociais. Em 1996, foi eleito vereador em Curitiba. Dois anos depois, elegeu-se deputado federal e, em 2002 e 2006, foi reeleito. Em 2010, disputou a eleição para o Senado e não conseguiu votos suficientes para o cargo. Em julho, casou-se com a jornalista Marcia Oleskovicz.

Fruet planeja começar hoje, segunda-feira, o trabalho de transição. Ele já avisou que pretende chamar a irmã, Eleonora Fruet, ex-secretária municipal da educação, para ajuda-lo na área. A mulher dele avisou que vai fazer o que o marido mandar. Fruet (PDT) disse que a aliança que fez com o PT "vai ajudar Curitiba a ter uma grande gestão".

O candidato do PSC, Carlos Roberto Massa Junior, mais conhecido como Ratinho Junior, ficou com 39,35% dos votos, ou 387.483. Após votar, ele comentou que a capital paranaense "é uma cidade muito conservadora" e que sofreu com preconceitos. "Por ser jovem, por não ser de família tradicional, pelo meu apelido", explicou. Ele não deu entrevista após a derrota. Voltará a exercer o mandato de deputado federal. Pela manhã, evitou falar sobre o futuro e a declaração já feita pelo pai, o apresentador de TV Ratinho, de que se ele perder, deverá ser candidato ao governo em 2014. "É nada. Ele que é muito entusiasmado", respondeu, ao ser questionado sobre o assunto.

Fruet soube que estava eleito apenas 18 minutos depois de encerrada a votação, quando 75% das urnas estavam apuradas. A rapidez foi possível porque em Curitiba é usado um sistema de transmissão de dados direto de cada local de votação. Logo depois ele foi parabenizado pela presidente da República Dilma Rousseff, que não participou de sua campanha.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Vitória de Fruet projeta Gleisi e ameaça reeleição de Richa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV