A Igreja Ortodoxa russa denuncia a perseguição dos cristãos em países árabes

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • "O pior de tudo em Manaus é a sensação de impotência"

    LER MAIS
  • “Pelo amor de Deus, nos enviem oxigênio”, apelam os bispos do Amazonas e Roraima

    LER MAIS
  • O testamento de Dom Jacques Noyer, bispo francês - " “O celibato eclesiástico é uma falsa aventura"

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Jonas | 25 Outubro 2012

A Igreja Ortodoxa russa expôs à ONU sua preocupação em relação à perseguição aos cristãos na Síria e nos países árabes que recentemente sofreram uma rápida mudança de regime, informou o presidente do Departamento Internacional do Patriarcado de Moscou, o arcebispo Hilarión de Volokolamsk.

A reportagem é publicada no sítio Religión Digital, 24-10-2012. A tradução é do Cepat.

O arcebispo russo interveio numa reunião da Terceira Comissão da Assembleia Geral da ONU, responsável de assuntos sociais e humanitários, assim como conversou também com o secretário geral do organismo internacional, Ban Ki-moon.

“Estamos profundamente alarmados pelo que está ocorrendo na Síria, onde algumas forças radicais buscam o poder com a ajuda de países ocidentais, e quando chegam ao poder, as comunidades cristãs são justamente as primeiras a se tornarem suas vítimas”, expressou Hilarión.

Ele destacou o Iraque com um exemplo, país em que uma década atrás a população cristã somava 1,5 milhões de pessoas, mas que agora representa apenas uma décima parte desse número, uma vez que o restante desses cristãos foi assassinado ou teve que emigrar.

O religioso denunciou o silêncio da imprensa ocidental a respeito deste assédio aos cristãos, o que também não está na ordem do dia na ONU e em outros organismos internacionais. “Não se trata simplesmente de uma falta de tolerância, mas de uma verdadeira perseguição aos cristãos, em grande escala, que atinge vários países e cujas vítimas são dezenas e centenas de milhares de cristãos”, protestou.

Segundo Hilarión, hoje a Rússia é o principal ator da comunidade internacional que tenta impedir que a Síria siga os passos do Iraque ou da Líbia.

“É um assunto que deve ser discutido abertamente em nível internacional, não basta apenas falar do assunto, mas deve-se também criar um mecanismo que não permita a continuidade nas perseguições aos cristãos”, enfatizou.

Segundo dados da ONU, o conflito custou mais de 30.000 vidas, desde seu início em março de 2011. O Governo do país afirma que suas forças de segurança enfrentam milícias fortemente armadas e apoiadas pelo exterior.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A Igreja Ortodoxa russa denuncia a perseguição dos cristãos em países árabes - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV