"PSB não está a reboque do PT", diz Eduardo Campos

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Nota de apoio ao Padre Edson Adélio Tagliaferro. Mais de cem padres já assinaram

    LER MAIS
  • Bem comum e justiça social: agora mais do que nunca. Manifesto de mais 110 bispos, arcebispos e cardeais

    LER MAIS
  • Aquele vírus entre Darwin e Marx

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 08 Outubro 2012

Considerado o maior vitorioso nessas eleições municipais, com seu candidato, Geraldo Júlio, eleito em primeiro turno para prefeito do Recife, o governador e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos insiste que não é candidato em 2014. Mas admite que o seu PSB encorpou e agora “é um partido adulto”, que não estará “a reboque do PT” e que ele próprio pretende viajar o país, neste segundo turno, para ajudar seus aliados. A entrevista foi concedida ao portal do Ig, 07-10-2012.

Eis a entrevista.

Pronto para disputar as eleições de 2014?


Nada disso. Estou pronto para continuar ajudando a presidenta Dilma Rousseff a fazer o Brasil voltar a crescer e superar os problemas impostos pela crise internacional. Ocorreram agora as eleições de 2012. Ninguém vai tratar neste momento de 2014. Está muito distante.

Mas o que se fala é que, com o desempenho do PSB nessas eleições, o senhor se credencia a disputar a Presidência.

O desempenho do PSB nessas eleições credencia o partido e entrar na fase adulta. É isto o que ocorreu agora nessas eleições. Nós crescemos. Saímos da adolescência. Somos um partido adulto.

E como fica a relação com o PT nesta fase?

Fica como sempre esteve. Uma relação de respeito, de companheirismo. O que ocorreu nestas eleições, apenas, é que mostramos que o PSB é um partido com identidade própria. Que não tem condições de estar a reboque de nenhum outro partido, mesmo que seja aliado como o PT.

E como fica em Pernambuco, depois das animosidades ocorridas na campanha do Recife?

Vamos voltar a ter a relação cordial e fraterna que sempre tivemos. O Geraldo Júlio vai procurar o PT. O partido tem muitos integrantes aqui do Diretório da capital que são próximos do Geraldo e do PSB. Vamos convidá-los a conversar. O PT já integra e continuará integrando a base do governo do Estado. Enfim, vamos em frente.

O senhor vai viajar o país no segundo turno?


Vou sim. Onde os aliados me chamarem, eu vou. Onde o PSB precisar de mim, sou um soldado do partido.

E isso não é campanha para 2014?

Nada disso. Estamos em 2012.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"PSB não está a reboque do PT", diz Eduardo Campos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV