Crivella defende Edir Macedo em ato com oração por Russomanno

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Bispo brasileiro diz que ordenará mulheres ao diaconato se papa permitir

    LER MAIS
  • “A ética do cuidado é um contrapeso ao neoliberalismo”. Entrevista com Helen Kohlen

    LER MAIS
  • Irmã Dulce, símbolo de um Brasil que está se esquecendo dos pobres. Artigo de Juan Arias

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

28 Setembro 2012

Em compromisso não di­vulgado por sua campanha, o candidato do PRB à Prefei­tura de São Paulo, Celso Russomanno, recebeu on­tem uma oração do apóstolo Estevam Hernan­des, da Igreja Renascer em Cristo. Também ouviu o minis­tro da Pesca, Marcelo Cri­vella, dizer que os evangélicos não dependem do governo e defender o bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal.

A reportagem é de Diógenes Campanha e publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 28-09-2012.

Senador licenciado pelo PRB, Crivella é sobrinho de Macedo e um dos bispos da Universal no alto escalão da sigla de Russomanno.

O ministro sugeriu que Macedo e Hernandes são perseguidos por liderar suas igrejas. "Perguntem ao apóstolo ou ao bispo Macedo o preço que eles pa­gam."

Crivella pregou em um café da manhã promovido pela Confederação das Igrejas Evangélicas Apostóli­cas do Brasil em uma feira cristã no Anhembi (zo­na norte). Russo­manno foi ao evento para receber o apoio da Renascer.

No palco também estavam seu vice, Luiz Flávio Borges D'Urso, e o coordenador político de sua coligação, Campos Machado, ambos do PTB.

D'Urso foi advogado de Estevam e Sonia Hernandes quando eles foram detidos ao tentar entrar nos EUA, em 2007, com dinheiro não declarado, parte dele escondido em uma Bíblia.

Campos Machado advogou para Macedo quando o bispo foi preso, em 1992, acusado de curandeirismo, charlatanismo e estelionato.

Antes da oração em prol do candidato, Crivella defendeu o engajamento político das igrejas, mas negou haver mistura de religião com política.

"Engana-se quem pensa que a igreja quer se aproveitar da política. Bobagem. Vivemos de dízimo e de ofertas. Não precisamos da ajuda de governo para nada", disse.

O ministro afirmou que a causa das igrejas é a liberdade religiosa e que "alguns candidatos", referindo-se a Russomanno, estão sentindo o "preconceito" que haveria contra evangélicos.

Estevam Hernandes orou para que a candidatura do PRB "dê fruto na estação própria", e o ex-deputado Bispo Gê (DEM-BA) disse que Russomanno tem boa índole e está preparado para governar.

Com 20,8 mil fiéis em São Paulo, segundo o Censo 2010, a Renascer pede à prefeitura "flexibilidade na documentação e regularização de imóveis [templos]", disse o deputado Marcelo Aguiar (PSD-SP), um dos articuladores políticos da igreja.

Russomanno não falou com a Folha no evento. Disse que só daria entrevista em um compromisso público, à tarde. Um segurança se posicionou entre ele e a reportagem.

No fim da tarde, afirmou que não divulgou a ida ao ato religioso porque foi só uma "visita à feira". O candidato, no entanto, não passou por nenhum estande do evento.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Crivella defende Edir Macedo em ato com oração por Russomanno - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV