Atletas muçulmanos participantes das Olimpíadas observam Ramadã

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • Livro analisa os teólogos, a virada ecumênica e o compromisso bíblico do Vaticano II

    LER MAIS
  • Desigualdade bate recorde no Brasil, mostra estudo da FGV

    LER MAIS
  • Adaptando-se a uma ''Igreja global'': um novo comentário internacional sobre o Vaticano II. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

30 Julho 2012

Atletas muçulmanos que participam dos Jogos Olímpicos de Londres terão que desobedecer preceitos islâmicos no mês de Ramadã, como o jejum, inclusive da ingestão de água enquanto o sol estiver brilhando.

A notícia é da Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), 30-07-2012.

Este ano, muçulmanos comemoram o Ramadã de 20 de julho a 18 de agosto. Cerca de 1,5 bilhão de pessoas ficarão sem comer e beber do nascer ao pôr do sol.

Um dos cinco pilares do Islã é a obrigação de jejuar todo o mês. "Alá é piedoso e compassivo, ainda que nossos pecados sejam muitos", declarou o lutador de judô dos Emirados Árabes, Al Drie, de 19 anos. Ele espera não ser condenado por isso.

Estima-se que 23% dos desportistas dessas Olimpíadas professem a fé muçulmana. Drie comentou que se tivesse que jejuar em pleno período de competição isso seria um passo para a derrota, pois sem a ingestão de alimentos poderia, inclusive, desmaiar durante a luta.

Um dos líderes religiosos de Dubai, Ahmed Abdul Aziz Al Haddad, disse que a prática do esporte não é uma exigência do Islã e cabe aos atletas decidirem se vão competir e observar ou não os preceitos religiosos nesse período. Ele frisou que os atletas muçulmanos deveriam observa o jejum, por força da religião, mesmo que isso signifique perder a competição.

Muçulmanos creem que foi no Ramadã que o profeta Maomé recebeu a primeira revelação divina. Além do Ramadã, os outros quatro pilares do Islamismo são: professar e aceitar o credo (shadada), orar cinco vezes ao dia (salat), pagar dádivas rituais (zakat) e peregrinar a Meca (haij). O jejum é interpretado como parte do esforço de autopurificação do crente.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Atletas muçulmanos participantes das Olimpíadas observam Ramadã - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV