Assassinato dos pescadores. Entidades se mobilizam para audiência pública

Revista ihu on-line

SUS por um fio. De sistema público e universal de saúde a simples negócio

Edição: 491

Leia mais

A volta do fascismo e a intolerância como fundamento político

Edição: 490

Leia mais

Maria de Magdala. Apóstola dos Apóstolos

Edição: 489

Leia mais

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Por: Cesar Sanson | 26 Julho 2012

Um mês após o assassinato de dois pescadores artesanais da Associação de Homens e Mulheres do Mar (AHOMAR), no Rio de Janeiro, entidades se mobilizam para audiência pública sobre a Pesca Artesanal e preparam ato de solidariedade.

A reportagem é da Agência Pulsar, 25-07-2012.

Almir Nogueira de Amorim e João Luiz Telles Penetra eram lideranças da AHOMAR, organização de pescadores artesanais que luta contra os impactos socioambientais gerados por grandes empreendimentos que inviabilizam a pesca artesanal na Baía de Guanabara. Ambos foram assassinados na sexta-feira, dia 22 de junho de 2012.

Para entidades que trabalham pela garantia de direitos humanos nessas regiões, o crime contra os pescadores da AHOMAR é, na verdade, mais um crime contra a pesca artesanal no Rio de Janeiro. A atividade dos pescadores é vista como entrave aos interesses econômicos de empreendimentos de multinacionais.

Na Baía de Sepetiba, também no estado do Rio de Janeiro, os pecadores de Pedra de Guaratiba estão impedidos de trabalhar e sofrem com a criminalização desde que a Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA) foi instalada.

Diante disso, organizações, movimentos sociais e asscoiações de pescadores estão se mobilizando e pedem apoio para a audiência pública sobre a situação da pesca artesanal no Rio de Janeiro, que vai ocorrer no dia 01 de agosto na Câmara dos Vereadores. Um ato político será realizado após a audiência.