PT indica Patrus Ananias para disputa em BH

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Nota de apoio ao Padre Edson Adélio Tagliaferro. Mais de cem padres já assinaram

    LER MAIS
  • Bem comum e justiça social: agora mais do que nunca. Manifesto de mais 110 bispos, arcebispos e cardeais

    LER MAIS
  • Aquele vírus entre Darwin e Marx

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Julho 2012

A executiva nacional do PT aprovou ontem o rompimento da aliança com o atual prefeito de Belo Horizonte (MG), Marcio Lacerda (PSB), que concorrerá à reeleição, e indicou o ex-ministro do Desenvolvimento Social Patrus Ananias como candidato da sigla à sucessão na capital mineira.

A reportagem é de Vandson Lima, Raphael Di Cunto e Marcos de Moura e Souza e pubicada pelo jornal Valor, 04-07-2012.

A confirmação da candidatura depende apenas de uma conversa marcada para hoje, em São Paulo, entre o presidente petista, Rui Falcão, e o vice-prefeito da cidade, Roberto Carvalho. Rompido com Lacerda e defensor de longa data da candidatura própria, Carvalho chegou a registrar sua candidatura à prefeitura no Tribunal Regional Eleitoral local. O partido quer arrumar uma saída honrosa para Carvalho, já que, conforme reconheceu Rui Falcão, "ele sempre defendeu a candidatura própria e nos avisou que Lacerda poderia nos surpreender".

O PT, que tinha inclusive indicado o vice da chapa que será encabeçada por Lacerda, resolveu romper a aliança após saber que o PSB decidiu não fazer coligação na chapa para vereadores, conforme havia prometido. "O rompimento partiu do Marcio Lacerda. Havia um acordo escrito, tenho a carta em mãos. Foi uma atitude, conforme ele [Lacerda] disse à imprensa local, tomada a pedido do senador Aécio Neves e do governador Antônio Anastasia [ambos do PSDB]", afirmou Rui Falcão.

PSDB e PT, adversários no plano nacional, ajudaram a eleger Lacerda em 2008 e participam de seu governo. Os tucanos serão agora os principais aliados de Lacerda em sua tentativa de reeleição.

PT e PSB dominam a política local e se revezam no comando da cidade desde 1993. Estiveram na mesma chapa três vezes e concorrerão separados pela terceira vez este ano, mas sempre compuseram o governo um do outro.

O deputado federal Miguel Corrêa Júnior (PT-MG) avisou que o PT entregará todos os cargos que detém no governo de Belo Horizonte. O partido tem a vice-prefeitura, sete secretarias, além de cargos de primeiro escalão em empresas públicas e autarquias. O número de cargos comissionados seria em torno de 900.

Antes indicado a vice de Lacerda, o deputado disse que a vaga será usada para tentar convencer algum partido aliado do PT no plano federal a aderir à chapa. "O PMDB, se somado ao PT, faria um belo arco de alianças para enfrentar essa disputa eleitoral com quem rompeu seu compromisso com a cidade e com a gente", avaliou.

A costura estaria sendo tratada pelas cúpulas dos dois partidos, já que o PMDB lançou o deputado federal Leonardo Quintão como candidato a prefeito. "Assim como se criou um quadro novo a partir do rompimento com o prefeito Marcio Lacerda, essa movimentação toda pode criar uma nova realidade em Belo Horizonte. É o que estamos buscando", afirmou Rui Falcão. Questionado, Quintão disse ontem que estava "lutando em Brasília pela sua candidatura".

O presidente do PT procurou desvencilhar a celeuma em Belo Horizonte dos recentes rompimentos entre PT e PSB em outras capitais, como Fortaleza (CE) e Recife (PE), onde os partidos concorrerão com candidaturas em separado. Também disse não ver qualquer articulação do presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, para se distanciar dos petistas com vistas a alçar voo próprio na eleição presidencial de 2014. "Não vejo nenhuma intenção do governador Eduardo Campos em precipitar a sucessão de 2014. Até porque ele tem dito que estará com a presidente Dilma [Rousseff]", afirmou.

Pouco depois do anúncio do PT que indicou a candidatura de Patrus, Aécio e Eduardo Campos conversaram por telefone sobre o novo quadro da disputa na cidade. Campos, segundo apurou o Valor, assegurou ao senador que não haverá nenhum movimento do PSB para tentar convencer os petistas a voltarem atrás e apoiarem a reeleição de Lacerda. Desde o fim de semana, tanto no PT quanto no PSB havia especulações de que o próprio Campos ou a executiva nacional do PSB - que se reúne hoje - atenderia o pedido do PT para manter a aliança. O rompimento deixa Lacerda sozinho com os tucanos.

"Aécio vai estar na linha de frente da campanha", disse o deputado federal Marcus Pestana, presidente do PSDB de Minas Gerais. "Já estávamos comprometidos no apoio ao Marcio [Lacerda]. Agora, estamos mais revigorados", disse. Pestana lembra que Aécio é, segundo pesquisa recente, a liderança política que mais influencia o voto dos eleitores de Belo Horizonte.

Patrus foi vereador de Belo Horizonte nos anos 80, elegeu-se prefeito em 1992 e, em 2002, conquistou o mandato de deputado federal. Dois anos depois assumiu o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome no governo Lula. É professor na Faculdade de Direito da PUC-Minas e preside o Conselho de Responsabilidade Social (Consocial) da Fiesp.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

PT indica Patrus Ananias para disputa em BH - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV