''Sou católico, mas estou decepcionado com a Igreja'', afirma Evo Morales

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O que deve ser cancelado? Eis a questão

    LER MAIS
  • Indígena assassinado no Maranhão é o 4º Guajajara morto de forma violenta em menos de dois meses

    LER MAIS
  • Padre Miguel Ángel Fiorito, SJ, meu Mestre do Diálogo: "Ele nos ensinou o caminho do discernimento". Artigo do Papa Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Julho 2012

"Eu sou católico, mas estou decepcionado com a Igreja Católica. No Paraguai, ela foi a primeira a reconhecer o governo de Franco. E, na semana passada, na Bolívia, abençoou o motim policial". Em uma entrevista à Rádio Nacional, o presidente boliviano, Evo Morales, lançou duros ataques contra a Igreja Católica a partir das ações de seus representantes após o golpe no Paraguai e durante a sublevação policial na Bolívia.

A reportagem é do sítio Religión Digital, 30-06-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Além disso, o presidente exemplificou: "Quando o povo está encurralado pelo Estado colonial, a Igreja Católica não aparece. Mas quando o povo encurrala o Estado colonial, o padre aparece, rezando pelos dirigentes. Eu vivi isso como dirigente sindical".

Em diálogo com o jornalista Rodrigo Sepúlveda, Morales se mostrou solidário com Fernando Lugo e feliz com a reação internacional. "Lugo, para mim, continua sendo o presidente do Paraguai. Tenho uma profunda estima pelo padre Lugo", acrescentou.

"Parece que grupos internos, e especialmente externos, tentam frear transformações democráticas na região", avaliou, antes de acusar Federico Franco de conspirar com a oposição boliviana para desestabilizar o seu governo.

Por último, Morales reafirmou que não há consenso entre os países da Unasul para aplicar sanções políticas ao Paraguai, sem castigos econômicos propriamente ditos. "Há consenso para uma ação política, mas não tanto para uma ação econômica", disse.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

''Sou católico, mas estou decepcionado com a Igreja'', afirma Evo Morales - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV