A Rio+20 decepcionou as organizações religiosas

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Está chegando o cato-fascismo

    LER MAIS
  • O encontro com Esther Duflo, Prêmio Nobel de Economia

    LER MAIS
  • Sigilo em torno do Sínodo da Amazônia mostra tensão entre transparência e discernimento

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 28 Junho 2012

Diversas organizações religiosas disseram estar decepcionadas com a Conferência das Nações para o Desenvolvimento Sustentável, conhecida como Rio+20, que aconteceu entre os dias 20 e 22 de junho, no Rio de Janeiro.

A reportagem está publicada do jornal católico francês La Croix, 27-06-2012. A tradução é do Cepat.

A Aliança Ecumênica de Ação Mundial (EAA), com sede em Genebra, disse que, embora o documento final da conferência - “O futuro que queremos” - reconheça que o acesso à alimentação é um direito humano, ela não chamou suficiente atenção para as mudanças necessárias na agricultura para favorecer os pequenos agricultores em detrimento do agronegócio.

O documento "deixa a porta aberta para a grande intensificação da agricultura industrial, sistema que provou ser ineficaz na erradicação duradoura da fome e quase levou a um colapso dos ecossistemas e das comunidades", disse Peter Prove, diretor executivo da EAA. "Os governos falharam em tomar as medidas necessárias para preservar a saúde do planeta e promover soluções viáveis e sustentáveis para a erradicação da fome crônica," sempre segundo a EAA.

“Onde quer que reina o nosso pensamento baseado na economia, prevalecem a pobreza, a exploração e a fome”

"Nós instamos os governos a apoiar sistemas agrícolas que melhorem a produtividade da terra, a melhorar a capacidade de resistência das comunidades à mudança climática e a contribuir para a erradicação da pobreza e da fome", diz Gisele Henriques, responsável pela alimentação da CIDSE, uma aliança de desenvolvimento católica e membro da EAA.

A EAA é uma aliança de 80 Igrejas e de organizações ligadas às Igrejas, que conta entre seus membros representantes católicos, evangélicos, ortodoxos e protestantes.

Também o Conselho Mundial de Igrejas rejeita o documento oficial final. "Renomados cientistas dizem que praticamente nada foi feito entre 1992 e 2012 em termos de políticas públicas e participação global", observou o brasileiro Leonardo Boff, um dos fundadores da Teologia da Libertação. Ele confessa que "onde quer que estejamos, podemos provocar destruição e forçamos as outras espécies a fugir. Onde quer que reina o nosso pensamento baseado na economia, prevalecem a pobreza, a exploração e a fome".

“A falta de ambição não pode ser justificada”

Enquanto isso, o uruguaio Guillermo Kerber, coordenador das atividades relacionadas com a preocupação com a criação e a justiça climática no Conselho Mundial de Igrejas, reforçou a conclusão dos parceiros religiosos recusando aceitar o resultado da Rio+20 como um "instrumento efetivo de mudança". Ele rejeitou a prudência exibida no documento: "os argumentos usados para justificar a falta de ambição do documento, tais como a crise econômica e financeira, são inaceitáveis do ponto de vista do Conselho Mundial de Igrejas".

A organização, através de seus diversos programas, vai continuar a estar presente nos debates da ONU sobre desenvolvimento sustentável, o ambiente e o clima. Ela também se comprometeu a continuar sua participação no movimento que organizou a Cúpula dos Povos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A Rio+20 decepcionou as organizações religiosas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV