Mentor de processo contra Lugo teria ligações com Pinochet e o narcotráfico

Revista ihu on-line

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Mais Lidos

  • Vaticano, roubadas da igreja estátuas indígenas consideradas “pagãs” e jogadas no Tibre

    LER MAIS
  • A peleja religiosa. Artigo de José de Souza Martins

    LER MAIS
  • Começa a hora da decisão para os bispos da Amazônia na semana final do Sínodo. Artigo de Thomas Reese

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

25 Junho 2012

Apontado por alguns partidários de Fernando Lugo como o mentor intelectual do processo que terminou com o impeachment do ex-presidente paraguaio, o empresário pecuarista e pré-candidato presidencial Horacio Cartes possui diversas controversas ligações, que vão desde o narcotráfico até o pinochetismo.

A reportagem é publicada pelo sítio Opera Mundi, 23-06-2012.

Principal líder do conservador Partido Colorado – principal partido de sustentação da ditadura de Alfredo Strossner (1954-1989) –, Cartes lançou sua campanha presidencial em setembro de 2011, e dois meses causou uma pequena polêmica no país, ao contratar como assessor político o advogado chileno Francisco Javier Cuadra, que foi porta-voz da ditadura de Augusto Pinochet entre 1984 e 1987.

Embora tenha declarado inicialmente que “Cuadra foi contratado para prestar assessoria jurídica somente para minhas empresas”, Horacio Cartes foi cedendo às revelações da imprensa local de que o ex-ministro pinochetista era seu principal assessor pessoal e que tinha influência direta em suas estratégias de campanha.

Outra controvérsia que abalou a candidatura de Cartes, também em novembro de 2011, aconteceu quando o portal Wikileaks vazou dezenas de documentos da Embaixada dos Estados Unidos em Assunção que revelavam a ligação do pecuarista com grupos narcotraficantes, com os quais haveria mantido um esquema de lavagem de dinheiro que, segundo os documentos, foi investigado pela DEA (Agência Antidrogas dos Estados Unidos) entre os anos de 2003 e 2005.

Segundo as revelações do Wikileaks, o esquema de lavagem de dinheiro também envolvia o Banco Amambay, do qual Cartes é o principal acionista, e teria sido informado aos diplomatas norte-americanos por Hugo Castor Ibarra, que foi chefe da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai) durante os governos de Luis González Macchi (1999-2003) e Nicanor Duarte (2003-2008). Castor Ibarra, porém, negou ter feito tais declarações: “jamais falei sobre o senhor Cartes com nenhum órgão diplomático de nenhum país”.

Apesar das polêmicas, Cartes se mantém como favorito para as primárias do Partido Colorado, programadas para o próximo mês de agosto. Uma pesquisa divulgada em maio de 2012 pelo instituto First Analisis apontou que o empresário liderava a corrida interna em seu partido com 31,9% de apoio, enquanto o deputado Zacarias Irún aparece em segundo com 22,9%.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mentor de processo contra Lugo teria ligações com Pinochet e o narcotráfico - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV