EUA. Evangélicos e católicos pedem defesa da liberdade religiosa

Revista ihu on-line

Henry David Thoreau - A desobediência civil como forma de vida

Edição: 509

Leia mais

Populismo segundo Ernesto Laclau. Chave para uma democracia radical e plural

Edição: 508

Leia mais

Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

Edição: 507

Leia mais

Mais Lidos

  • Os filhos dos padres: a nova investigação da equipe Spotlight

    LER MAIS
  • A CNBB recolhida em jejum e oração

    LER MAIS
  • 'Estamos frente a um sistema de agiotagem que paralisou o país'

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

11 Maio 2012

O movimento Evangélicos e Católicos Juntos (Evangelicals and Catholics Together) alude, em manifestação pública, à urgente necessidade de defender a verdadeira liberdade religiosa e admite que os cristãos fracassaram, com frequência, “em querer viver essa liberdade, perseguindo outras religiões ou fazendo uso de métodos coercitivos de proselitismo”.

A informação é da Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), 10-05-2012.

O documento insta católicos e evangélicos a trabalharem juntos na busca do respeito às crenças, pela liberdade religiosa, também na América do Norte e na Europa, como parte dos direitos democráticos. A história mostra que as sociedades religiosamente livres são melhores para o povo e mais segurar para o mundo, aponta o texto.

Expressa, ainda, a necessidade de manter a separação real entre Igreja e Estado, garantia legal para a liberdade religiosa. Católicos e evangélicos propõem que o papel dos cidadãos, tanto crente como não crentes, esteja no mesmo plano público, a fim de trabalhar pela construção de um espaço real de liberdade e de debate.

Evangélicos e Católicos Juntos
reporta-se também à perseguição que cristãos sofrem nos Estados Unidos por defenderem a religião islâmica e o radicalismo do uso de símbolos religiosos. “Mas a liberdade religiosa também está em perigo em alguns países onde o idioma dos direitos humanos é parte do vocabulário moral público”, mencionando casos de problemas com a legislação norte-americana em relação à objeção de consciência para os médicos que se negam a realizar abortos ou aos ministros religiosos que se põem aos casais gay.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - EUA. Evangélicos e católicos pedem defesa da liberdade religiosa