Estádio de Manaus poderá se pagar em 198 anos

Revista ihu on-line

O Brasil na potência criadora dos negros – O necessário reconhecimento da memória afrodescendente

Edição: 517

Leia mais

Base Nacional Comum Curricular – O futuro da educação brasileira

Edição: 516

Leia mais

Renúncia suprema. O suicídio em debate

Edição: 515

Leia mais

O Brasil na potência criadora dos negros – O necessário reconhecimento da memória afrodescendente

Edição: 517

Leia mais

O Brasil na potência criadora dos negros – O necessário reconhecimento da memória afrodescendente

Edição: 517

Leia mais

Base Nacional Comum Curricular – O futuro da educação brasileira

Edição: 516

Leia mais

Base Nacional Comum Curricular – O futuro da educação brasileira

Edição: 516

Leia mais

Renúncia suprema. O suicídio em debate

Edição: 515

Leia mais

Renúncia suprema. O suicídio em debate

Edição: 515

Leia mais

Mais Lidos

  • O Papa para os sacerdotes de Roma "Dialoguem com seus próprios limites, sem se envergonhar. A confissão não é suficiente"

    LER MAIS
  • Pedro Casaldáliga. “Na minha idade, tudo cabe em uma Oração”

    LER MAIS
  • Papa Francisco. “Onde é que o nosso povo foi criativo?” Conversa com jesuítas do Chile e do Peru

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

07 Março 2012

Num cenário otimista, a Arena Amazonas, que está sendo construída em Manaus para abrigar jogos da Copa do Mundo de 2014, a um custo estimado de 499,5 milhões de reais (cerca de 294 milhões de dólares), vai se pagar em 45,4 anos. Num cenário pessimista, serão necessários 198,5 anos para que a construção empate o investimento realizado.

A reportagem é da Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), 06-03-2012.

A estimativa é da Brunoro Sport Business (BSB), empresa de consultoria esportiva fundada em 2003 e que tem sede em São Paulo. As reformas no Estádio Beira-Rio, de Porto Alegre, que apresenta o mais atrasado dos cronogramas porque a empresa construtora tem apresentado garantias aquém do exigido pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) para assegurar um empréstimo de 300 milhões de reais, vai se pagar de 5 a 10,9 anos, a melhor projeção das 12 sedes da Copa.

Os estádios Mané Garrincha, de Brasília, das Dunas, de Natal, e a Arena do Pantanal, de Cuiabá, teriam seus custos abatidos entre 33,6 a 167,1 anos. Ao todo, as edificações e reformas dos estádios vão consumir 6,8 bilhões de reais (cerca de 4 bilhões de dólares), se mantidas as estimativas de custos previstas. Esse montante é 32% superior ao que a África do Sul empregou na construção dos estádios sedes da Copa do Mundo de 2010.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Estádio de Manaus poderá se pagar em 198 anos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV