Bispos do mundo pedem perdão por abusos e omissões em casos de pedofilia

Revista ihu on-line

SUS por um fio. De sistema público e universal de saúde a simples negócio

Edição: 491

Leia mais

A volta do fascismo e a intolerância como fundamento político

Edição: 490

Leia mais

Maria de Magdala. Apóstola dos Apóstolos

Edição: 489

Leia mais

Mais Lidos

  • Dom Hélder Câmara e Dom Luciano Mendes de Almeida: paladinos dos pobres e da justiça

    LER MAIS
  • Igreja: «Pensamento liberal não é o nosso» - Papa Francisco

    LER MAIS
  • O estadista forjado na fronteira, com a cabeça em Comte e espírito em Darwin

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

09 Fevereiro 2012

Integrantes de Conferências Episcopais de todo o mundo que participam nestes dias do simpósio “Rumo à cura e à renovação” na Pontifícia Universidade Gregoriana, se uniram terça-feira, 7 de fevereiro, em uma vigília de oração penitencial na igreja de Santo Inácio, presidida pelo Cardeal-Prefeito da Congregação para os Bispos, Cardeal Marc Ouellet. Os bispos, de mais de cem países dos cinco continentes, pediram perdão pela ‘tragédia’ e o ‘crime’ dos abusos sexuais cometidos por padres e não contrapostos por seus superiores.

A informação é do Boletim da CNBB, 08-02-2012.

A cerimônia começou com uma procissão silenciosa e se encerrou com uma declaração simbólica de arrependimento por parte de sete representantes de membros da Igreja que enfrentaram de modo inadequado o problema da pedofilia: um bispo, um educador, um superior, um sacerdote, um genitor, um fiel e um cardeal (o próprio Dom Ouellet).

Na conclusão, uma senhora irlandesa que quando adolescente foi vítima de abusos, Marie Collins, tomou a palavra diante da cruz e em nome das vítimas, rezou: “Senhor, ofendido pelos homens, homem de dores, para nós é difícil perdoar aqueles que nos fizeram mal; somente a tua graça pode nos conceder este dom; pedimos-te a força de unir-nos ao perdão que da cruz fizeste descer sobre a humanidade pecadora como um consolo, para que a tua Igreja seja curada também com o nosso perdão. Perdoa-lhes”. E o coro entoou o 'Kyrie eleison'.