Tesouro Nacional já estuda novo aporte ao BNDES

Revista ihu on-line

Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

Edição: 507

Leia mais

Os coletivos criminais e o aparato policial. A vida na periferia sob cerco

Edição: 506

Leia mais

Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

Edição: 505

Leia mais

Mais Lidos

  • Os milhões na Suíça do novo cardeal do Mali embaraçam Francisco

    LER MAIS
  • “Um dia vou te matar”: como Roraima se tornou o Estado onde as mulheres mais morrem no Brasil

    LER MAIS
  • A vingança de Mazzolari, o padre dos pobres banido pela Igreja, mas amado por Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

17 Janeiro 2012

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) poderá receber novo aporte de recursos do Tesouro Nacional neste ano. O reforço de caixa está em análise e será calculado durante as negociações para o ajuste do Orçamento da União. O secretário do Tesouro, Arno Augustin, disse que se a decisão sobre a transferência for tomada o montante será inferior aos R$ 55 bilhões definidos para 2011. "Será menor porque estamos, aos poucos, criando condições para que o setor privado financie o investimento de longo prazo no Brasil", comentou.

A reportagem é de Ribamar Oliveira e Luciana Otoni e publicada pelo jornal Valor, 17-01-2012.

Do total previsto para 2011, o Tesouro repassou R$ 45 bilhões. Os R$ 10 bilhões restantes serão remetidos até o fim deste mês. "Fizemos o último repasse bem no fim do ano. Então, o banco tem uma reserva importante, tanto da emissão do fim do ano quanto da que faremos agora. Se sobrou do ano passado é porque neste ano será menor, se houver", disse.

As transferências do Tesouro, feitas mediante a emissão de títulos, visam reforçar o caixa do banco e assegurar a oferta de financiamento para investimentos de longo prazo. Em 2008, o BNDES recebeu R$ 22,5 bilhões do Tesouro; em 2009, R$ 100 bilhões; em 2010, R$ 105 bilhões, dos quais R$ 24,7 bilhões foram empregados na capitalização da Petrobras, e em 2011, R$ 55 bilhões.

No Ministério da Fazenda, a avaliação é que a economia ainda enfrenta dificuldades decorrentes da crise global, pelo que as transferências ao banco não podem ser suprimidas. Além disso, existiria uma dificuldade dos bancos privados em oferecer crédito de longo prazo.

O BNDES recebe recursos, mas é o responsável pelas maiores remessas de dividendos ao Tesouro. Os dividendos recebidos de estatais pela União em 2011 somaram R$ 19,7 bilhões, sendo R$ 6,9 bilhões do BNDES e R$ 3,7 bilhões da Caixa Econômica Federal. O total foi inferior aos R$ 22,4 bilhões de 2010.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Tesouro Nacional já estuda novo aporte ao BNDES