Itamaraty X Comissão Internacional de Direitos Humanos

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • O “ódio consciente” ao Papa Francisco é o sinal mais evidente do “ódio inconsciente” que grande parte do clero tem pelo Evangelho. Artigo de José María Castillo

    LER MAIS
  • Habermas, 90 anos de inquietude filosófica

    LER MAIS
  • O drama do degelo da Groenlândia em uma só foto

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

16 Janeiro 2012

O Itamaraty aguarda com ansiedade o resultado do trabalho de avaliação da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA) que deve sair nas próximas semanas.

A informação é dos jornalistas Jorge Felix e Tales Faria e publicada no sítio Poder Online, 16-01-2012.

Em abril, a CIDH tentou melar a construção da hidrelétrica de Belo Monte ao emitir uma medida cautelar sob o argumento de que a usina alagaria terras indígenas. O governo brasileiro não gostou. Considerou a iniciativa uma interferência indevida em assuntos internos, especialmente em relação a um tema polêmico e bastante discutido por aqui.

Em represália, o Itamaraty adotou três medidas como forma de manifestar descontentamento: convocou o embaixador junto à OEA para consultas e deixou a representação brasileira em Washington sem o chefe durante sete meses; retirou a candidatura brasileira à vaga rotativa na comissão e suspendeu a contribuição anual de US$ 6 milhões ao organismo internacional.

Outros integrantes da OEA, descontentes com a atuação da comissão neste e em outros episódios, fizeram coro ao Brasil e articularam a criação de um grupo de trabalho para avaliar a sua atuação.

Em tempo: o embaixador brasileiro retornou ao posto em novembro e, em dezembro, o Brasil pagou a contribuição à OEA.

Agora, a esperança do governo brasileiro é que este grupo de trabalho dê uma enquadrada na CIDH

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Itamaraty X Comissão Internacional de Direitos Humanos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV