Uma perspectiva judaica sobre o Novo Testamento

Revista ihu on-line

“Raízes do Brasil” – 80 anos. Perguntas sobre a nossa sanidade e saúde democráticas

Edição: 498

Leia mais

Desmilitarização. O Brasil precisa debater a herança da ditadura no sistema policial

Edição: 497

Leia mais

Morte. Uma experiência cada vez mais hermética e pasteurizada

Edição: 496

Leia mais

Mais Lidos

  • Religiosos e religiosas do Brasil manifestam comunhão com o pontificado do papa Francisco

    LER MAIS
  • O que a desobediência de Renan e as bombas da igreja no Rio têm em comum?

    LER MAIS
  • Proposta para Previdência endurece regra para jovens e tira renda de vulneráveis

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

14 Janeiro 2012

O Novo Testamento é constantemente reinterpretado a partir de uma grande variedade de perspectivas. Das feministas, aos socialistas, passando pelos tradicionalistas. Há até mesmo uma versão vista através do prisma do Star Wars. Bem, agora você pode acrescentar à coleção The Jewish Annotated New Testament, de Amy-Jill Levine e Marc Zvi Brettler.

A reportagem é do sítio da National Public Radio, 24-12-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Levine, professora de Novo Testamento e Estudos Judaicos da Vanderbilt University, e Brettler, professora da cátedra Dora Golding de Estudos Bíblicos da Brandeis University, reuniram um grupo de estudiosos judeus para montar a primeira versão comentada do Novo Testamento a partir de uma perspectiva inteiramente judaica.

Levine cresceu em North Dartmouth, Massachussets, em um bairro predominantemente católico português, e foi aí que ela se fascinou pela primeira vez com o cristianismo. Ela conta que a missa católica lhe lembrava quando ela ia à sua própria sinagoga.

"Havia homens com vestes que falavam em uma língua que eu não entendia, mas de alguma forma era inspirador e espiritual", diz Levine.

The Jewish Annotated New Testament é a primeira vez em que estudiosos judeus se envolvem na edição de uma versão do Novo Testamento. Embora grande parte do Novo Testamento não seja subscrito pela fé judaica, Levine afirma que há muitas coisas no Novo Testamento que correspondem perfeitamente à história judaica primitiva.

"Grande parte do material ético do Novo Testamento é judaico, e grande parte da história apresentada é judaica", diz ela.

Reação da comunidade judaica

Levine diz que, em sua própria congregação em Nashville e em sinagogas em todo o país, ela recebeu uma reação positiva do livro e está sendo convidada a promover atividades educativas sobre o cristianismo primitivo.

"Penso firmemente que, se nós, judeus, quisermos que os cristãos nos respeitem, as nossas práticas, nossas crenças, nossas tradições e nossos textos precisam mostrar ao mundo em geral, e em particular ao mundo cristão, a mesma graça e a mesma cortesia", afirma.

A "benção" agora, diz Levine, é que os judeus e os cristãos hoje podem ter esse diálogo.

"Conversando uns com os outros, aprendemos mais sobre os outros e, idealmente, aprendemos mais sobre nós mesmos", diz.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Uma perspectiva judaica sobre o Novo Testamento