Durban. "Faz-se necessário uma ação urgente"

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • 23 razões para participar da Greve Climática desta sexta-feira

    LER MAIS
  • Às leitoras e aos leitores

    LER MAIS
  • Cisma: uma noção que mudou ao longo dos séculos. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

30 Novembro 2011

O presidente da Cáritas Internacional, Óscar Andrés Rodríguez Maradiaga, está participando da cúpula sobre a mudança climática da ONU que está ocorrendo em Durban até o dia 05 de dezembro. O cardeal urgirá os governos para que haja um acordo sobre a mudança climática que coloque as comunidades pobres dos países em desenvolvimento em primeiro lugar e tomem medidas para um futuro sustentável.

A reportagem está publicada no sítio espanhol Religión Digital, 29-11-2011. A tradução é do Cepat.

O cardeal Rodríguez e a Cáritas da África do Sul presidem uma delegação de representantes da confederação das Cáritas do mundo, integrada por mais de 160 agências católicas, que participará em vários eventos em Durban.

O cardeal hondurenho disse a este respeito: "Nosso clima está mudando. As organizações da Cáritas estão respondendo ao crescente caráter imprescindível e condições extremas do clima experimentadas em todo o mundo. Este ano, vimos inundações na América Central, Sul e Sudeste da Ásia, e secas em todo o leste da África".

"Faz-se necessário uma ação urgente. Os negociadores do clima não podem demorar mais para se colocarem de acordo sobre uma legislação internacional que dê um giro na ameaça da mudança climática e ponha o mundo no caminho de um futuro mais justo e sustentável", acrescentou.

Em 2011, o leste da África sofreu a pior seca em meio século. A seca não é nova na África, mas as mudanças nos padrões do tempo, combinados com a falta de investimentos, e a competição por terra e água, comprometeram a capacidade da população local para enfrentá-la.

"Todo o mundo é vulnerável à mudança climática, mas os países pobres são mais afetados – disse o cardeal Rodríguez. A África é um dos continentes mais vulneráveis aos impactos da mudança climática. Os africanos estão tomando uma posição em Durban, é tempo para que o mundo tome posição junto com a África".

A Caritas afirma que as negociações na reunião da Convenção Marco das Nações Unidas para a Mudança Climática devem dar os passos necessários para um acordo justo, ambicioso e legalmente vinculante que construa sobre o Protocolo de Kyoto. Faltam decisões para reduzir as emissões de gás com efeito estufa em mais de 40% nos países desenvolvidos antes de 2020.

A Cáritas acrescenta que o Green Climate Fund deve chegar a ser plenamente operacional. As medidas de adaptação deveriam receber financiamento público substancial, dado que as populações pobres e vulneráveis são as mais afetadas.

Uma preocupação chave da Cáritas é "assegurar que todos os homens e mulheres do mundo tenham alimentos suficientes seguros e saudáveis".

"A mudança climática afeta a segurança alimentar porque a modificação do comportamento do clima afeta seriamente a agricultura", destaca.

"O direito à alimentação deve ser um princípio guia em Durban – conclui. Para a Cáritas isto significa garantir que um bilhão de pessoas que vivem na pobreza extrema são ao mesmo tempo os beneficiários e os motores da agricultura e das políticas de segurança alimentar".

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Durban. "Faz-se necessário uma ação urgente" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV