A esquerda mexicana lança novamente López Obrado como candidato a presidente

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Uma visão do suicídio no Brasil em resposta à outra visão apresentada

    LER MAIS
  • "É hora de reaprender a arte de sonhar com os xamãs nativos"

    LER MAIS
  • Não tenho nenhuma esperança de que o Governo Bolsonaro ainda se empenhe em transmutar sua visão a respeito da Amazônia. Entrevista com Dom Erwin Krautler

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


19 Novembro 2011

A esquerda mexicana decidiu na terça-feira, dia 15, repetir o candidato nas eleições presidenciais de 2012. Andrés López Obrador, que foi derrotado por apenas 0,56% dos votos pelo atual presidente, Felipe Calderón, em 2006, foi o vencedor das duas pesquisas paralelas que o Partido da Revolução Democrática (PRD) realizou entre a população. O aspirante perdedor, Marcelo Ebrard, atual chefe de Governo do Distrito Federal e que representa a ala moderada do PRD, aceitou sem reservas o resultado. “A esquerda dividida apenas iria ao precipício”, afirmou.

A reportagem é de Luis Prados e está publicada no jornal espanhol El País, 16-11-2011. A tradução é do Cepat.

As duas pesquisas, de metodologia e amostragem semelhantes, se basearam nas respostas da população a cinco perguntas. Ebrard foi o vencedor naquelas que se referem à simpatia e boa opinião do candidato numa lista de vários. No entanto, nas que tratavam sobre a intenção de voto direta entre ele e López Obrador, ganhou o velho caudilho da esquerda populista mexicana.

Ebrard acatou o veredicto das pesquisas e renunciar partir para um processo de decisão interna no partido, via prévias. Destacou que os objetivos das pesquisas eram “garantir uma candidatura unitária, garantir a seleção do candidato a partir das preferências dos eleitores e criar as bases para uma nova etapa para a esquerda progressista”, e que os três objetivos foram cumpridos. Prometeu dar todo o seu apoio ao AMLO, como López Obrador é conhecido, e defendeu “abrir passagem para uma frente ampla que supere as lutas entre facções”.

López Obrador, por sua vez, anunciou a criação de uma frente ampla, inspirado no Uruguai, e que concorrerá às eleições com o nome de Movimento Progressista. Se desmanchou em elogios ao seu concorrente – “amigo, companheiro e um dirigente político extraordinário” – e garantiu que ambos se complementam.

O candidato de 2006, que convocou todos os setores progressistas a unirem forças para “transformar o México em um país mais justo e igualitário”, não resistiu à sua velha retórica e afirmou: “Vamos todos juntos sem ódio nem rancores construir uma república amorosa”. A escolha de López Obrador torna-se pública dois dias depois da derrota sofrida pelo PRD no Estado de Michoacán, um bastião histórico da esquerda mexicana e que estava no governo nos últimos 10 anos.

López Obrador, representante da ala radical do PRD e ponto de união de uma infinidade de “tribos” e entidades sociais de esquerda, não atrai, segundo as pesquisas, as classes médias mexicanas apesar da sua aproximação, nos últimos meses, ao setor privado. Seu teto eleitoral atual está em 15% da intenção dos votos e sua candidatura facilita as coisas para a volta ao poder do Partido Revolucionário Institucional (PRI), favorito nas pesquisas.

Marcelo Ebrard, pelo contrário, tem um grande poder de atração entre os setores mais modernos da sociedade mexicana e sua gestão à frente do governo da capital federal goza de uma aceitação superior a 60%. Como prefeito da Cidade do México destacou-se por sua política de ampliação dos direitos cidadãos – legalizou o matrimônio homossexual – e sua defesa do meio ambiente. Nas rodas de conversas sobre assuntos políticos, todos acreditavam que Ebrard, de 52 anos, na verdade está de olho nas eleições de 2018.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A esquerda mexicana lança novamente López Obrado como candidato a presidente - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV