Justiça nega pedido para suspender licença de Belo Monte

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • 'Por uma teologia do acolhimento e do diálogo, do discernimento e da misericórdia', segundo o papa Francisco

    LER MAIS
  • Usada por Moro e Dallagnol, tese de alteração das mensagens está cada vez mais fraca

    LER MAIS
  • “Quem disser ‘amo a Deus’, mas odeia o irmão, é mentiroso”. Entrevista com Leonardo Boff

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Novembro 2011

A Justiça Federal no Pará negou nesta quinta-feira (17) pedido do Ministério Público Federal, que queria liminar suspendendo a licença de instalação da usina de Belo Monte, no rio Xingu. Cabe recurso.

A reportagem é de Felipe Luchete e publicada pelo portal Uol, 17-11-2011.

A Procuradoria alega que o Ibama concedeu a segunda fase do processo de licenciamento sem que todas as condicionantes da licença anterior fossem atendidas.

A ação cita, por exemplo, a ausência de apresentação de estudos sobre qualidade da água. Para a Procuradoria, o "Ibama jamais poderia deixar passar para outra fase assunto que deveria ter sido resolvido durante o EIA [estudo de impacto ambiental] e de tamanha importância para a vida das pessoas".

O juiz federal Hugo da Gama Filho, da 9ª Vara Federal, aceitou posição do Ibama de que as condicionantes relacionadas na licença prévia podem ser cumpridas em fases posteriores.

A empresa Norte Energia, que constrói a hidrelétrica, disse na defesa que o Ibama detém competência exclusiva para gerir licenciamentos ambientais. Não caberia, portanto, ao Judiciário avaliar o mérito de atos administrativos, sob pena de violar o princípio da separação de poderes.

A ação pede também que a Justiça Federal declare a nulidade da licença, pedido que ainda será avaliado pelo juiz.

No fim de setembro, a Justiça suspendeu obras que afetem o curso do rio Xingu. A Norte Energia, porém, disse que a decisão não afeta na prática o ritmo atual do canteiro, porque as obras ainda não estão sendo feitas no rio.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Justiça nega pedido para suspender licença de Belo Monte - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV