Movimento dos párocos austríacos vai continuar "desobediente"

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • “Uma nova educação para uma nova economia”: Prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz, ministrará videoconferência nesta quinta-feira

    LER MAIS
  • O enorme triunfo dos ricos, ilustrado por novos dados impressionantes

    LER MAIS
  • Família Franciscana repudia lei sancionada por Bolsonaro que declara o dia 04 de outubro, dia de São Francisco de Assis, como dia Nacional do Rodeio

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

12 Novembro 2011

A Pfarrerinitiative permanece na linha da "desobediência". Na assembleia geral em Linz, Áustria, no fim da tarde de domino, foi confirmada, por unanimidade, a linha do conselho de direção agora no cargo, declarou o representante Helmut Schüller (foto) depois da manifestação na Igreja das Ursulinas de Linz. No total, 81 membros participaram da reunião – entre padres e diáconos.

A reportagem é do sítio Wienerzeitung.at, 06-11-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Com essa decisão, também foi definida a continuidade da proposta, afirmou Schüller. O Apelo à Desobediência havia levantado polêmica durante o verão e levou a discussões acaloradas entre Schüller e o cardeal Christoph Schönborn.

Os párocos envolvidos na iniciativa querem, dentre outras coisas, permitir que os leigos preguem e deem a comunhão também aos divorciados em segunda união. Além disso, eles se declaram a favor da ordenação de mulheres e à habilitação do sacerdócio de pessoas casadas.

Schüller disse que, na assembleia geral, também houve uma discussão sobre o conceito de "desobediência". Por exemplo, a diocese de Innsbruck havia proposto renomear o apelo, chamando-o de Apelo à Responsabilidade Pessoal. O assunto foi discutido, até porque a ideia original podia dar origem a mal-entendidos.

No fim, entretanto, escolheu-se, por maioria, manter o nome anterior, porque a palavra "desobediência" traria maior clareza na discussão e também deixaria claro do que se trata de forma geral.

Como próximo passo, os pedidos já formulados devem ser mais desenvolvidas e expostos de forma mais detalhada, disse Schüller. Além disso, a iniciativa irá estimular ainda mais os bispos para que iniciem um "novo diálogo com o povo da Igreja". Ao mesmo tempo, a Pfarrerinitiative pede "maior transparência" da parte dos bispos – isto é, que de como eles se posicionam diante da iniciativa, das organizações de leigos e de Roma.

Os bispos já tem a partir da próxima segunda-feira uma ocasião para tratar das decisões da Pfarrerinitiative, assim como as das organizações leigas: eles estarão reunidos em Salzburgo para a sua tradicional assembleia geral de outono.


Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Movimento dos párocos austríacos vai continuar "desobediente" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV