"Indignados" voltam a praça para protestar contra violência policial

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “A pastoral com as pessoas LGBT deve fazer parte do caminho sinodal”, defende o cardeal de Bolonha

    LER MAIS
  • Os padres das novas gerações e o ‘modelo’ padre Pino Puglisi: uma distância intransponível?

    LER MAIS
  • As origens do termo “gaúcho” e nossas heranças indígenas. A história que não te contam

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


18 Agosto 2011

A polícia voltou ontem a dispersar com violência manifestações de jovens na Porta do Sol, em Madri.

A informação é do jornal Folha de S. Paulo,19-08-2011.

Centenas de pessoas se reuniram no local para protestar contra a violência com que a polícia afastou dali manifestantes na véspera.

Anteontem, a "marcha laica" contra os altos custos públicos da visita do papa Bento 16 à Espanha terminou com um saldo de oito pessoas detidas e 11 feridas.

Segundo o jornal "El País", a princípio, a polícia tentou impedir o encontro entre manifestantes e peregrinos, e não evitar a manifestação.

No entanto, houve confrontos depois que policiais tentaram esvaziar a praça central da capital.

Antes que a polícia dispersasse os manifestantes, fiéis e laicos trocaram xingamentos. De um lado do cordão policial, os peregrinos gritavam "Esta é a juventude do papa". Do outro, os laicos respondiam: "Essa mala fui eu quem pagou" e "Esta não é a juventude do papa".

Entidades laicas estimaram que a visita do papa à Espanha custaria 20 milhões de euros (cerca de R$ 45 milhões) aos cofres públicos.

O Vaticano, porém, informou que a realização da JMJ (Jornada Mundial da Juventude) em Madri é custeada pela Igreja Católica.

Ontem, no mesmo local, cerca de 50 defensores da diversidade sexual realizaram um "beijaço gay", rodeados pela polícia e pelos manifestante. Foi um protesto pelas "doutrinas sexofóbicas, homofóbicas e transfóbicas" da Igreja Católica, explicaram os manifestantes à agência Efe.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"Indignados" voltam a praça para protestar contra violência policial - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV