"Grécia e Portugal abandonarão o euro em dois ou três anos"

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Naturalizamos o horror? Artigo de Maria Rita Kehl

    LER MAIS
  • Católicas, sim, pelo Direito de Decidir!

    LER MAIS
  • Nice, consternação no Vaticano com a bofetada à fraternidade humana

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Agosto 2011

Grécia e Portugal devem abandonar a zona do euro e desvalorizar suas moedas em, no máximo, três anos. É o que prevê o professor da Universidade de Leeds, na Inglaterra, e especialista em economia da zona do euro, Malcom Sawyer. Segundo ele, se permanecerem usando a moeda comum europeia, estarão condenados a viver em recessão. No futuro, o acadêmico acredita que a zona do euro será restrita aos países europeus do Norte, comandados pela Alemanha, França e Holanda.

Sawyer veio ao Brasil para participar do 4.º Encontro Internacional da Associação Keynesiana Brasileira.

A entrevista é de Fábio Alves e publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo, 05-08-2011.

Eis a entrevista.

Qual o futuro da União Econômica e Monetária da zona do euro?

Terá de haver algum tipo de ruptura da zona do euro. Países como Grécia e Portugal estão presos numa situação na qual têm como perspectiva, se permanecerem no euro, anos de recessão, de desemprego e de deterioração da atividade econômica. Isso porque eles vêm produzindo déficits de conta corrente enormes, tendo de tomar emprestado muito dinheiro do exterior. Isso não há como continuar. Para escapar dessa situação, esses países terão de desvalorizar suas moedas.

E é uma questão de tempo?

Sim, é uma questão de tempo para que Grécia e Portugal reconheçam a necessidade de efetivamente mudar o valor da sua moeda. Podem fazer isso abandonando o euro ou reduzindo drasticamente os preços domésticos, mas essa opção é muito difícil de fazer.

Em que horizonte de tempo o sr. prevê o abandono do euro por Grécia e Portugal?

Nos próximos dois a três anos. Suspeito que ocorrerá repentinamente, com a ocorrência de mais uma grande crise, forçando-os a enfrentar a opção de deixar o euro.

O que acontecerá com as grandes economias, como a Itália e a Espanha?

Itália e Espanha não estão na mesma situação grave que Grécia e Portugal. O problema com Itália e Espanha é proveniente do fato de que a UE insiste que eles reduzam seus déficits orçamentários num momento que esses países não têm condições de fazê-lo. Então, terão de adotar programas de austeridade para poder cumprir as exigências da UE.

Qual será o perfil da zona do euro no futuro, em especial se Grécia e Portugal abandonarem o barco?

Se a zona do euro ficasse concentrada na Alemanha, França, Holanda, Bélgica, Áustria e talvez alguns outros, então o euro seria uma moeda muito mais forte. A dificuldade atual na zona do euro é que os países do Norte produzem superávits, enquanto os do Sul produzem déficits, daí que os países do Norte estão emprestando para os do Sul no âmbito da zona do euro. Isso está criando a tensão na zona do euro. Se os países do Sul deixassem a zona do euro, então os países do Norte poderiam ficar numa posição mais forte e sólida, permitindo que o euro se fortalecesse. Se alguns dos países mediterrâneos deixassem a zona do euro, também a crise poderia acabar, o que também seria um fator para fortalecer o euro.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"Grécia e Portugal abandonarão o euro em dois ou três anos" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV