Os Legionários de Cristo são obrigados a fechar o seminário de Dublin

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Pedro descansa onde ele sonhou, na beira do Araguaia, entre um peão e uma prostituta

    LER MAIS
  • Sobre a carta dos bispos. Profetismo incompreendido

    LER MAIS
  • Bolsonaro quer reduzir em R$ 35 bilhões o orçamento do SUS para 2021

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


27 Julho 2011

As medidas dolorosas que estão tomando em vários países evidenciam que os Legionários de Cristo não dispõem de reservas milionárias.

A reportagem é de Eugenia Jiménez e está publicada no jornal mexicano Milenio, 26-07-2011. A tradução é do Cepat.

Os Legionários de Cristo vão fechar o seu seminário de Dublin (Irlanda) por falta de vocações e recursos, apesar do trabalho vocacional realizado em seus colégios. Esta situação é um reflexo da crise interna que a congregação vive, iniciada ao se tornar pública a dupla vida de seu fundador Marcial Maciel.

O diretor territorial Sylvester Heereman, em uma carta datada em 15 de julho passado e enviada aos consagrados da Regnum Christi, informou que foi obtido o consentimento do conselho dos Legionários e a aprovação do Delegado Pontifício Velasio de Paolis para tomar essa decisão.

E informa que os Legionários não poderão aceitar noviços em Dublin a partir de setembro próximo. "Portanto, por enquanto este noviciado vai fechar e os irmãos do primeiro ano serão transferidos para outros noviciados".

Destaca-se na carta que "os motivos que levaram a esta decisão dolorosa são a falta de vocações irlandesas nas duas últimas décadas, somada à dificuldade atual de manter o noviciado com vocações provenientes de outros países, assim como a consolidação de esforços e recursos que estamos levando a cabo em todo o mundo".

A carta lembra que "neste noviciado, desde 1961, se formaram Legionários de Cristo, entre os quais se contam mais de 50 sacerdotes irlandeses que ofereceram e continuam oferecendo sua vida infatigavelmente a serviço da Igreja no país".

Também destaca que da presença dos Legionários na Irlanda surgiu um grupo de membros consagrados(as) que se entrega com grande fervor à sua missão em diversas partes do mundo.

"Temos a esperança de que Deus nos concederá no futuro novamente numerosos noviços irlandeses e a possibilidade de formar noviços neste país que tantas e tão exemplares vocações deu ao longo dos séculos. Colocaremos todo o nosso esforço para manter e potencializar o nosso trabalho evangelizador nestas terras onde a Igreja está passando por tempos muito difíceis".

Conservam escolas

A carta também informou que a comunidade continuará residindo no centro de Leopardstown, em Dublin, e que manterão seus serviços mediante as diversas obras de apostolado: as academias Dublin Oak e Woodlands, a casa de retiros de Clonlost, o Faith and Family Centre em Dal Riada, e a colaboração que alguns sacerdotes dão em paróquias de maneira contínua ou ocasional.

Os Legionários informaram que o padre Anthony Bannon foi nomeado superior da comunidade de Dublin e assumiu esse encargo no dia 18 de julho passado. E o sacerdote Sergio Rosiles foi nomeado gerente.

E convida para que "sigamos fortalecendo nosso compromisso de levar uma vida mais santa, individualmente e como congregação, de maneira que demos um testemunho luminoso para os homens e mulheres que encontramos em nosso caminho, e possamos oferecer um melhor serviço à Igreja".

Ao reconhecer a crise econômica dos Legionários que se vive em alguns países como os Estados Unidos, o porta-voz da congregação, o sacerdote Andrea Schoggl, assinalou, no momento do fechamento de obras na Irlanda, que "as medidas dolorosas que estamos tomando em vários países evidenciam que os Legionários de Cristo não dispõem de reservas milionárias como alguns meios de comunicação especularam".

"Temos uma grande responsabilidade eclesial e social e, por isto, nossa situação não pode ser comparada a uma empresa ou uma corporação multinacional que pode dispor de seus ativos simplesmente segundo critérios econômicos", acrescentou.

Diante desta situação, reiterou "seu compromisso em fortalecer a confiança de todos mediante auditorias externas e o apoio de conselheiros especialistas para que, cada pessoa que apoiar economicamente uma obra, tenha a certeza do uso eficiente de sua contribuição".

Além disso, a Igreja católica na Irlanda se encontra imersa em uma crise de credibilidade depois da descoberta dos abusos sexuais de sacerdotes contra crianças, na qual o papa Bento XVI teve que intervir diretamente.

Finanças difíceis

— No dia 23 de fevereiro de 2011, Velasio de Paolis criou a comissão econômica para revisar as finanças da ordem.

— O vigário-geral dos Legionários, Luis Garza Medina, disse em 27 de junho que a cúpula da congregação será renovada em 2013; ele deixou de ser o responsável pelas finanças da ordem em 12 de julho passado.

— A ex-consagrada Nelly Ramírez, no livro El Reino de Marcial Maciel, expôs que Garza administrava os recursos dos Legionários na Integer, instância onde estavam trabalhando familiares e amigos, alguns deles com salários de até 200.000 pesos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Os Legionários de Cristo são obrigados a fechar o seminário de Dublin - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV