Estudante de medicina que usou Fies poderá pagar o financiamento exercendo a profissão em municípios pobres

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O que muda (para pior) no financiamento do SUS

    LER MAIS
  • Ou isto, ou aquilo

    LER MAIS
  • Desmatamento na Amazônia aumenta 212% em outubro deste ano, aponta Imazon

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

15 Junho 2011

O médico que usou o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para cursar a faculdade poderá quitar a dívida exercendo a profissão em municípios com pobreza extrema e em especialidades consideradas prioritárias pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A reportagem é de Carolina Pimentel e publicado pela Agência Brasil, 15-06-2011.

De acordo com a Portaria 1.377, publicada nessa terça-feira, o médico que ingressar em equipes do Saúde da Família poderá abater 1% da dívida a cada mês de trabalho. Se quiser continuar no programa por mais oito anos e quatro meses, quitará o total do saldo devedor, inclusive juros. O profissional que optar pela residência médica em uma especialidade prioritária do SUS terá o prazo de carência do financiamento estendido por todo o período da residência.

O benefício é uma tentativa do governo em atrair médicos para regiões onde há falta desses profissionais. A portaria traz os critérios para a escolha das regiões, entre eles, percentual da população sem plano de saúde, renda por habitante, número de moradores em extrema pobreza, beneficiários do Programa Bolsa Família, parcela da população que reside na área rural e oferta de leitos hospitalares. Em 30 dias, o Ministério da Saúde deverá divulgar a lista com os municípios e as especialidades médicas prioritárias.

Desde março deste ano, professores que atuam na rede pública e querem fazer um curso superior podem usar esse mecanismo para pagar o financiamento. Para aqueles que já estão na carreira, o tempo em que estiver fazendo o novo curso e trabalhando em escola pública passa a contar para o abatimento da dívida.

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Estudante de medicina que usou Fies poderá pagar o financiamento exercendo a profissão em municípios pobres - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV