Organismos de Direitos Humanos lembram martírio de monsenhor Gerardi

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Bergoglio, ao Santo Sínodo Ortodoxo: “Façamos do Chipre uma ponte entre o céu e a terra”

    LER MAIS
  • Metaverso? Uma solução em busca de um problema. Entrevista com Luciano Floridi

    LER MAIS
  • A implementação do Concílio no governo do Papa Bergoglio. Artigo de Daniele Menozzi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


26 Abril 2011

O Escritório de Direitos Humanos do Arcebispado da Guatemala (ODHAG), o Movimento Monsenhor Gerardi e a Rede de Católicos das Américas (AMERÍNDIA) divulgaram, ontem, as atividades comemorativas do 13º aniversário do martírio do bispo católico.

"Fazemos um chamado à sociedade guatemalteca para que preserve a demanda por justiça ante as muitas violações, aos direitos fundamentais do passado e do presente", disse o diretor da ODHAG, Nery Rodenas.

A reportagem é de Mayra Rodríguez e publicada pela Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), 26-04-2011.

Ele lembrou que monsenhor Gerardi dizia que a exclusão, a marginação e a discriminação são os elementos detonadores da violência, agravada por diversas formas do crime organizado, e pela escandalosa brecha entre a abundância dos ricos e a escassez da população pobre, que na Guatemala é superior a 83%.

Juan José Gerardi Conedera foi morto no dia 26 de abril de 1998, dois dias depois de ter apresentado o Relatório Guatemala Nunca Mais, projeto diocesano de investigação. O documento responsabilizou o Exército por 93% das mortes violentas durante os 36 anos de conflito armado interno, que terminaram com a Assinatura dos Acordos de Paz, em 1996.

Os organismos de defesa dos Direitos Humanos exigiu justiça para as comunidades camponesas na Cuenca do Polochic, deslocadas pelas empresas produtoras de etanol e pelas forças de segurança "de um governo que de palavra defende os pobres, mas de fato favorece a oligarquia".

Também pediram justiça às famílias e localidades indígenas e camponesas que defendem seu território em San Marcos, El Quiché, Huehuetenango, entre outros lugares. Esse povo pronunciou-se contra a construção de hidrelétricas e da mineração a céu aberto, que seguem funcionando em benefício de grandes empresas nacionais e internacionais, inclusive em lugares onde a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) exigiu o fechamento das mesmas devido ao dano que causam ao meio ambiente.

As atividades comemorativas começaram hoje pela manhã, com a substituição da Rosa no Monumento à Paz, localizado no Palácio Nacional da Cultura, a cargo da religiosa Raquel Saravia, homenageada por seu labor educativo e pelos direitos humanos.

À tarde, foi celebrada missa com eucaristia, presidida por monsenhor Oscar Julio Vián, arcebispo metropolitano.
De hoje até a sexta-feira, ficará aberta a cripta da Catedral Metropolitana, onde jazem os restos do sacerdote assassinado, bem como o museu dedicado ao mártir.

No marco dessa comemoração, terá lugar na Guatemala, por esses dias, as primeiras jornadas teológicas centro-americanas e caribenhas, como passo prévio ao Congresso Continental de Teologia a ter lugar em São Leopoldo, RS, em outubro do 2012, por motivo dos 50 anos do Concílio Vaticano II e os 40 da publicação do livro de Gustavo Gutiérrez, Teologia da Libertação: Perspectivas.

Gerardi foi um dos defensores do reconhecimento oficial dos idiomas maias na Guatemala. Sua influência permitiu a abertura de duas emissoras de rádio que transmitem programas nesses idiomas. Ele criou o Centro San Benito para a promoção dos valores humanos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Organismos de Direitos Humanos lembram martírio de monsenhor Gerardi - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV