Paralisação de operários afeta obras do PAC

Revista ihu on-line

Gauchismo - A tradição inventada e as disputas pela memória

Edição: 493

Leia mais

Financeirização, Crise Sistêmica e Políticas Públicas

Edição: 492

Leia mais

SUS por um fio. De sistema público e universal de saúde a simples negócio

Edição: 491

Leia mais

Mais Lidos

  • Justiça de São Paulo anula julgamentos de PMs pelo massacre do Carandiru

    LER MAIS
  • "Inadequado": jesuíta alemão liquida o último livro de Bento XVI

    LER MAIS
  • “Sem Cerrado, sem água, sem vida”: campanha nacional em defesa do Cerrado é lançada em Brasí

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

24 Março 2011

Pelo menos cinco grandes obras de infraestrutura que estão incluídas no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) foram paralisadas nas últimas duas semanas em razão de protestos de trabalhadores.

A notícia é do jornal Folha de S. Paulo, 25-03-2011.

O número de operários parados nos canteiros de obras foi de quase 80 mil.

Manifestações recentes atingiram inclusive obras do Minha Casa, Minha Vida no Maranhão, que pararam durante nove dias em janeiro.

Atualmente, além das usinas de Jirau e Santo Antônio (Rondônia), as obras da refinaria Abreu e Lima e da Petroquímica Suape (Pernambuco) e da termelétrica de Pecém (Ceará) estão paradas.