Audiência da CNV mostrará como igreja ajudou e perseguiu militantes políticos na ditadura

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Viagem ao inferno do trabalho em plataformas

    LER MAIS
  • Metaverso? Uma solução em busca de um problema. Entrevista com Luciano Floridi

    LER MAIS
  • A implementação do Concílio no governo do Papa Bergoglio. Artigo de Daniele Menozzi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


16 Setembro 2013

Audiência do GT Igrejas no Rio de Janeiro, nos dias 17 e 18 de setembro, mostrará diferentes papéis assumidos pelas igrejas no Brasil durante os 21 anos de ditadura.

Em uma iniciativa conjunta, a Comissão Nacional da Verdade e a Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro promovem audiência pública, nos dias 17 e 18 de setembro, no Auditório da CAARJ, no centro do Rio. O evento faz parte do Grupo de Trabalho "Papel das igrejas durante a ditadura" e terá transmissão ao vivo na internet pela CNV.

Haverá a coleta pública de vários depoimentos, com destaque para a participação de Dom Waldyr Calheiros, (foto: http://migre.me/g6KBo) bispo emérito da diocese de Volta Redonda, líder religioso que deu abrigo e facilitou a fuga de diversos perseguidos políticos para outros países. Aos 90 anos, o testemunho de Dom Waldyr será exibido em vídeo pré-gravado pela CNV em parceria com a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), em virtude de suas condições de saúde.

Outro destaque será o depoimento do professor e bispo emérito da Igreja Metodista do Rio de Janeiro, Paulo Ayres Mattos, líder ecumênico, presidente da Koinonia – Presença Ecumênica e Serviço. Mattos deu abrigo aos refugiados do Cone Sul que procuraram o Brasil nos anos 70 após os golpes militares no Chile, Uruguai e Argentina.

Também prestarão seus depoimentos as ex-presas políticas Jessie Jane e Letícia Contrim; e os ex-presos Marcos Arruda e Zwinglio Motta Dias, cujo irmão, Ivan Motta Dias, é um desaparecido político. Pastor presbiteriano, Zwinglio foi expulso do Seminário Presbiteriano de Campinas, em 1962, devido ao discurso teológico que adotava de salvação das almas, mas que passava pela ética e a preocupação social.

No dia 18, à tarde, haverá uma homenagem póstuma ao advogado de presos políticos Lysâneas Maciel, ex- deputado federal, que teve seu mandato cassado pela ditadura, e a Herbert de Souza, o Betinho, ex-líder da Juventude Universitária Católica e da Ação Popular durante a ditadura, que tornou-se um líder pelos direitos humanos após seu retorno ao Brasil.

O grupo de trabalho papel das igrejas durante a ditadura examina a postura política de instituições religiosas e seus integrantes em relação ao regime ditatorial. Busca esclarecer a participação de instituições religiosas cristãs e/ou de suas lideranças clérigas ou leigas, tanto no apoio a movimentos de resistência à ditadura, quanto na contribuição à repressão, analisando os fatos e as circunstâncias de graves violações de direitos humanos correlatos ao seu tema.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Audiência da CNV mostrará como igreja ajudou e perseguiu militantes políticos na ditadura - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV