Lembre do desastre humano e ambiental de Bhopal

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • Livro analisa os teólogos, a virada ecumênica e o compromisso bíblico do Vaticano II

    LER MAIS
  • Adaptando-se a uma ''Igreja global'': um novo comentário internacional sobre o Vaticano II. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Desigualdade bate recorde no Brasil, mostra estudo da FGV

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

17 Junho 2010

O presidente Obama faria bem em parar um pouco de linchar a BP e refletir sobre a resposta oficial e corporativa norte-americana a um desastre humano e ambiental muito maior: Bhopal, Índia, 1984.

Nuvens de gás letal emitidas por uma fábrica da empresa norte-americana Union Carbide no coração dessa cidade central indiana imediatamente mataram cerca de 2.250 pessoas e afetaram a saúde de outras 500.000. Desse total, estima-se que entre 15.000 e 30.000 pessoas morreram posteriormente como consequência do acidente e dezenas de milhares de outras continuam doentes.

Até hoje, Bhopal tem as cicatrizes humanas e físicas do desastre, que nunca foi propriamente limpo – nem antes, nem depois da Union Carbide vender seu negócio na Índia para um grupo local em 1992. A Union Carbide ainda não admitiu responsabilidade pela catástrofe, que ela atribui a uma “sabotagem”.

Grande parte do sofrimento subsequente e da incapacidade em encontrar os responsáveis foram causados pelos governos local e nacional indiano, que pareciam mais preocupados em brigar entre si do que em ajudar as vítimas. Outra falha foi do sistema jurídico da Índia, absurdamente lento e por vezes parcial. Somente neste mês, 26 anos após o evento, os tribunais finalmente julgaram culpados sete membros administrativos e técnicos indianos, todos hoje com mais de 70 anos. Eles receberam sentenças de dois anos de prisão e pequenas multas e foram soltos sob fiança.

(Cfr. notícia do dia 17.06.2010 desta pág.)

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Lembre do desastre humano e ambiental de Bhopal - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV