Instituto detecta mancha de óleo a 20 km da costa do Rio

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • O fenômeno dos padres fisiculturistas e estrelas das redes sociais

    LER MAIS
  • “O Papa me disse: Deus ama os filhos homossexuais como eles são”

    LER MAIS
  • Francisco para os pais e mães de homossexuais: “A Igreja ama os vossos filhos do jeito que eles são, porque são filhos de Deus”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


02 Abril 2012

Técnicos do Inea (Instituto Estadual do Ambiente) encontraram na manhã de ontem uma mancha de óleo combustível de navio com cerca de 2,5 km de extensão e 1 km de largura em alto-mar.

A reportagem é de Diana Brito e publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 01-04-2012.

A mancha estava localizada entre as cidades de Maricá e Saquarema, na região dos Lagos, no Rio. Segundo o órgão, o óleo está distante cerca de 20 km da costa.

Presidente do órgão vinculado ao governo do Estado, Marilene Ramos afirmou à Folha que se trata de uma "mancha órfã" porque não se sabe de onde ela vazou. Ela disse acreditar que um navio tenha derramado o óleo já que ali é rota de navegação.

"Estamos vendo como combater a mancha de cerca de 1.600 litros de óleo. Como ela está distante, vamos acompanhar a evolução dela para avaliar o risco de chegar na costa", disse Marilene.

Segundo o Conselho Nacional de Meio Ambiente, um vazamento de até 8.000 litros de óleo é considerado pequeno.

O oceanógrafo David Zee disse que a mancha de óleo deve ser isolada e retirada imediatamente.

"É uma mancha grande sem dúvida nenhuma, mas a questão de grandeza pouco importa. Primeiro é confinar e retirar a mancha. Se não conseguir isso, nós temos que fazer estudos e nos prepararmos para o próximo acidente para termos capacidade de reação. Caso contrário, isso vai se repetir sempre", disse.

Ainda de acordo com o instituto ambiental, técnicos devem usar navios para dispersar a mancha no mar. O órgão comunicou ontem o Ibama sobre o vazamento.

A Folha tentou contato com o Ibama, mas não havia obtido resposta até a conclusão desta edição.

"Através de empresas que atuam no plano de emergência da baía de Guanabara, vamos tentar providenciar junto ao Ibama as embarcações do ramo petrolífero para dispersar a mancha", explicou a presidente do instituto.

O Inea localizou a mancha após realizar dois sobrevoos na região, ontem de manhã. Pescadores locais fizeram anteontem a denúncia.

Eles dizem que o ponto onde está o derramamento de óleo fica a cerca de uma hora e meia de navegação em barco comum.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto detecta mancha de óleo a 20 km da costa do Rio - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV