O que vem das urnas

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Como as lideranças católicas ajudaram a dar origem à violência no Capitólio dos EUA. Artigo de James Martin

    LER MAIS
  • “O trumpismo se infiltrou na Igreja Católica dos Estados Unidos”. Entrevista com Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Irlanda, 9 mil crianças mortas em casas para mães solteiras: o 'mea culpa' de Dublin sobre 76 anos de maus-tratos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


17 Novembro 2020

"É fato que o mundo que está surgindo após a pandemia tem aspectos completamente distintos de tudo aquilo que estávamos vivendo, mas que agora precisamos repensar, no sentido de termos uma sociedade mais sustentável, equilibrada e em harmonia com a natureza, de onde todos nós fazemos parte", escreve José Afonso de Oliveira, sociólogo formado pela PUC Campinas e professor aposentado da UNIOESTE

Eis o artigo.

Terminadas as eleições municipais de 2020 temos agora um novo panorama no país. A ideia de que iria prevalecer o favoritismo do presidente resultou em um tremendo fracasso, mas também a projeção do partido derrotado nas últimas eleições presidenciais, amargou uma grande destruição, conforme está revelado neste momento.

Nem radicais da extrema direita, nem também da esquerda, mas cresceu significativamente o principal partido de centro direita e já apareceu igualmente um partido de esquerda, bastante radical elegendo alguns vereadores, Brasil afora.

O fato é que as questões locais, diríamos mesmo com Bruno Latour questões terrestres ocupam agora um novo lugar no poder. Sim teremos que estar atentos pois que a globalização deixou para trás todos os aspectos que dizem respeito ao local em que habitamos e a volta de um pensamento terrestre, isto é, que possa preservar o planeta é hoje essencial para a nossa sobrevivência.

É fato que o mundo que está surgindo após a pandemia tem aspectos completamente distintos de tudo aquilo que estávamos vivendo, mas que agora precisamos repensar, no sentido de termos uma sociedade mais sustentável, equilibrada e em harmonia com a natureza, de onde todos nós fazemos parte.

Latour insiste nesses aspectos terrestres afirmando claramente que as mudanças climáticas que estamos observando são muito sérias e com grandes riscos para toda a humanidade.

Portanto a volta ao local, às questões pertinentes ao nosso viver é absolutamente essencial neste momento para toda a humanidade. Na medida em que tivermos a consciência clara de que nosso planeta precisa ser protegido por todos nós que teremos a necessidade de criarmos novas formas de produção de riqueza que não gerem destruições da terra, conforme estamos assistindo e imensas desigualdades sociais que acabam também gerando a destruição da sociedade.

Esse novo pensar exige, obrigatoriamente, uma nova forma de viver em sociedade rediscutindo conceitos práticos de sustentabilidade de maneira a termos as garantias de uma sociedade muito melhor para todos e não mais para alguns privilegiados.

Claro está que essa é uma tarefa árdua, mas que precisa ser travada, enquanto há tempo para isso. Mais a frente e estaremos fora dessa perspectiva por falta do tempo onde tudo já estará consumado e a destruição de direitos sociais que estão em marcha é um sintoma muito claro de que necessitamos discutir as questões terrestres o mais rapidamente possível. Que isso possa se realizar com essas retomadas dos poderes locais em detrimento de uma visão globalista extremamente negativa.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O que vem das urnas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV