O presidente do Brasil mente. Nota conjunta da Frente Amazônica de Mobilização em Defesa dos Direitos Indígenas (FAMDDI) e o Fórum de Educação Escolar Indígena do Amazonas (FOREEIA)

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Ailton Krenak: “A Terra pode nos deixar para trás e seguir o seu caminho”

    LER MAIS
  • Covid-19: 'Pandemia no Sul caminha para agravamento sem precedentes', diz epidemiologista

    LER MAIS
  • Alemanha. 76 irmãs franciscanas de um mesmo mosteiro testam positivo ao coronavírus

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Setembro 2020

"A fala presidencial constrange a maioria da sociedade brasileira perante a comunidade internacional e demonstra, mais uma vez, a disposição do governo Bolsonaro em governar para uma minoria, os que lucram com o fogo, com o desmatamento e com os ataques e assassinatos de indígenas, quilombolas, agricultores familiares, pescadores", escrevem a Frente Amazônica de Mobilização em Defesa dos Direitos Indígenas (FAMDDI) e o Fórum de Educação Escolar Indígena do Amazonas (FOREEIA), em nota conjunta.

Eis a nota.

A Frente Amazônica de Mobilização em Defesa dos Direitos Indígenas (FAMDDI), e o Fórum de Educação Escolar Indígena do Amazonas (FOREEIA), manifestam repúdio veemente às declarações feitas, nesta data (23 de setembro), pelo presidente do Brasil, sr. Jair Bolsonaro, na abertura da 75ª sessão da Assembleia Geral da Organizações das Nações Unidas (ONU).

O presidente brasileiro não apenas mentiu aos chefes de Estado e à sociedade mundial em seu discurso como expôs a forma do atual governo brasileiro tratar os povos indígenas, as populações tradicionais, a Amazônia, o Pantanal, e o meio ambiente em geral. Desprezo pela vida.

A fala presidencial constrange a maioria da sociedade brasileira perante a comunidade internacional e demonstra, mais uma vez, a disposição do governo Bolsonaro em governar para uma minoria, os que lucram com o fogo, com o desmatamento e com os ataques e assassinatos de indígenas, quilombolas, agricultores familiares, pescadores.

Responsabilizar indígenas e caboclos pelo fogo que queima a Amazônia é uma atitude de agressão e profundo desrespeito misturados à ignorância estratégica para desviar a atenção do que é necessário e urgente reparar: a omissão consciente do governo Bolsonaro diante das tragédias que ocorrem no Brasil e afetam milhares de brasileiros. O presidente do Brasil tripudia diante do sofrimento e da dor do povo do Brasil. Não respeita o cargo que ocupa.

Sr. Presidente, respeite os povos indígenas e os caboclos. Respeite o povo brasileiro!

Manaus, 22 de setembro de 2020

Assinam esta nota:

Associação dos Docentes da Universidade Federal do Amazonas (ADUA)
Associação das Mulheres Indígenas do Rio Negro (AMARN)
Conselho Indigenista Missionário (Cimi-Norte I)
Fórum de Educação Escolar e Saúde Indígena (Foreeia)
Serviço de Ação, Reflexão e Educação Sociambiental na Amazônia (SARES)
Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amazonas (SJP-AM)
Serviço e Cooperação com o Povo Yanomami (Secoya)
Federação Kokama TWRK
Fórum de Mulheres Afro-Ameríndias e Caribenhas
Movimento de Mulheres Solidárias do Amazonas (MUSAS)
Mandato Popular Deputado Federal José Ricardo
Rede de Mulheres Indígenas do Amazonas
União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (NIVAJA)

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O presidente do Brasil mente. Nota conjunta da Frente Amazônica de Mobilização em Defesa dos Direitos Indígenas (FAMDDI) e o Fórum de Educação Escolar Indígena do Amazonas (FOREEIA) - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV