Em meio à pandemia, EUA atacam o papa

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O que significa ser padre hoje? Artigo de Timothy Radcliffe

    LER MAIS
  • Paulo Freire. Cem anos de solidão pedagógica?

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


21 Abril 2020

A imagem da oração solitária do Papa Francisco na Praça de São Pedro também irrompeu no coração dos ateus, mas, no Vaticano e nos ambientes ultracatólicos, há quem trabalhe para transmitir a mensagem de que o coronavírus é a punição divina pelas culpas de Bergoglio.

A reportagem é do jornal La Repubblica, 20-04-2020. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

O episódio do programa “Report”, de Sigfrido Ranucci, transmitido nesta segunda-feira à noite, 20, no canal Rai3, é uma viagem ao longo pela última fronteira da guerra no Vaticano.

Assista abaixo a um trecho do programa, em italiano:

John-Henry Westen, diretor do site ultracatólico Lifesitenews, que fala de “traição do papa contra nosso Senhor” e conecta diretamente o “sim” de Francisco “às comunhões sacrílegas a divorciados e recasados” com a punição da pandemia.

Sites e pregadores estadunidenses chegam a acusar Bergoglio de idolatria por ter acolhido no Vaticano, depois do Sínodo sobre a Amazônia, as estátuas da Pachamama, uma divindade inca. Teses desconcertantes que – revela o “Report” – também têm seus pontos de referência no Vaticano: no arcebispo Carlo Maria Viganò, ex-núncio apostólico nos Estados Unidos, mas sobretudo no poderosíssimo cardeal Raymond Burke, membro do conclave, que não tem boas relações com Bergoglio.

Do Vaticano aos poderes fortes estadunidenses que controlam a política, o passo é curto. Burke é presidente da fundação filantrópica Sciacca (da qual Salvini é chefe do comitê científico) e ex-presidente da Dignitatis Humanae, que faz referência a Steve Bannon, estrategista de Trump.

“Chegou à Europa um bilhão de dólares das organizações ultracristãs estadunidenses para financiar movimentos e associações de extrema direita e colocar o papa em crise.”

Dinheiro que – explica o “Report” – também chega ao grupo europeu de Giorgia Meloni [política italiana que lidera o Brothers of Italy, partido conservador italiano, e ex-ministra da Juventude no quarto governo de Silvio Berlusconi].

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Em meio à pandemia, EUA atacam o papa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV