Conluio entre Governo brasileiro e o agronegócio intensifica desmatamento e incêndios, afirma Cimi na ONU

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Irreverência

    LER MAIS
  • Uma prova do conclave. O próximo papa assumirá o nome da Comunidade de Santo Egídio

    LER MAIS
  • “Eu estou tirando Deus da Bíblia”. Entrevista com Marc-Alain Ouaknin

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Setembro 2019

Incêndios e o descaso na política Ambiental brasileira são temas da denúncia do Cimi durante Sessão da Comissão de Direitos Humanos. Governo rebate e nega dados, afirmando que eventos são “são fenômenos estacionais”.

A informação é de Guilherme Cavalli, publicada por CIMI, 18-09-2019.

O crescente e criminoso aumento dos incêndios no Brasil foi tema da denúncia do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) na manhã de hoje (18) durante a 42a Sessão da Comissão de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, Suíça. Na nota lida durante Debate Geral sobre ITEM 4 – temas que exigem atenção do conselho, Cimi chamou atenção para a postura do Governo Bolsonaro em responsabilizar organizações pelos crimes ambientais. “O presidente, sem provas, responsabiliza ONGs que trabalham na região ao invés de tomar medidas urgentes”.

A denúncia apontou o aumento de 88% em focos de incêndio nas terras indígenas do Brasil entre janeiro e agosto deste ano. Cimi responsabilizou a atual política ambiental e o discurso do atual Governo de direcionar as ações de que colocam em risco as florestas brasileiras. “A regulamentação da mineração em Terras Indígenas, o congelamento das demarcações dos territórios indígenas, quilombolas e tradicionais, o conluio do governo e o agronegócio, os cortes no orçamento e a diminuição do controle ambiental e o discurso de ódio legitimam o desmatamento”.

“Os povos originários no Brasil e suas terras contribuem significativamente para o equilíbrio ambiental na região e no mundo. Estamos monitorando este grave quadro [de incêndios] que afeta não somente os povos, mas toda a casa comum”.

Foram registrados, entre janeiro e agosto de 2019, 9078 focos de incêndio em 274 terras indígenas. No mesmo período de 2018, os focos de calor registrados em terras indígenas chegaram a 4827. Além do aumento no número total de focos, o número de terras afetadas também aumentou, passando de 231 terras indígenas, em 2018, para 274, em 2019 – um aumento de 18,6%.

Em réplica a fala do Cimi, Governo brasileiro afirma que “incêndios são fenômenos estacionais” e que “dados indicam que se correspondem com as medidas das últimas duas décadas”. Contudo, dados do Instituto de Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostra uma comparação de agosto de 2018 com o atual ano: em agosto daquele ano, foram 2036 focos de incêndio em terras indígenas – ou seja, houve um aumento de 133,5% nos focos deste mês de um ano para o outro.

A delegação de indígenas fará novas declarações na tarde de hoje, durante a sessão de Diálogo Interativo . Ontem, terça-feira (17), em evento paralelo grupo de indígenas Guarani relataram as violações de direitos sofridas pelo povo na América do Sul. Na ocasião, a relatora especial para Direitos dos Povos Indígenas da ONU fez memória da sua visita aos povos Guarani: “Quando estive em visita ao povo Guarani no Brasil, fomos vigiados por pistoleiros”, lembrou Victoria Tauli Corpuz. “O povo Guarani vive com o medo constante de ser retirado de suas terras tradicionais. É um contexto onde Governo protege o agronegócio e descuida dos direitos dos povos”, sustentou a relatora especial.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Conluio entre Governo brasileiro e o agronegócio intensifica desmatamento e incêndios, afirma Cimi na ONU - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV