A administração Trump reduz proteções para espécies ameaçadas

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Párocos, franciscanos, ex-núncios: os treze novos cardeais de Francisco ampliam as fronteiras do Colégio cardinalício

    LER MAIS
  • “Temos que entrar em sintonia com o caos”, avalia Franco “Bifo” Berardi

    LER MAIS
  • Papa Francisco, uniões civis e o reconhecimento da intimidade. Artigo de Andrea Grillo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


15 Agosto 2019

A administração Trump finalizou mudanças radicais na segunda-feira para o Endangered Species Act (Lei de Espécies em Extinção) que reduz as proteções para plantas e animais em risco e facilita a remoção de espécies.

A reportagem é de Ben Geman e Marisa Fernandez, publicada por Axios e republicada por EcoDebate, 14-08-2019. A tradução e edição são de Henrique Cortez.

Por que é importante: o marco da administração Nixon contribuiu para salvar a águia, o urso e o jacaré americano, de acordo com o New York Times . A administração Trump afirma que as mudanças ajudarão a reduzir a carga regulatória no Departamento do Interior.

Um esboço da nova regra lançada no ano passado adere amplamente às novas mudanças da administração, por AP. Esses incluem:

• Enfraquecer as proteções e, possivelmente, remover os animais recém-considerados ameaçados.

• Permitir que as autoridades federais considerem os custos econômicos da proteção de certas espécies pela primeira vez.

• Permitir que as autoridades ignorem os impactos sobre espécies ameaçadas da mudança climática.

Os interesses envolvidos: companhias petrolíferas, promotores imobiliários, fazendeiros e outras indústrias há muito argumentam que a ESA cria barreiras para o desenvolvimento econômico e de recursos, mas os esforços liderados pelo Partido Republicano para alterar o estatuto subjacente anteriormente ficaram aquém do esperado.

O que eles estão dizendo: Uma série de grupos de lobby industriais e empresariais aplaudiram a decisão.

“As novas revisões da Lei de Espécies Ameaçadas atingem um equilíbrio apropriado entre a proteção das espécies e o desenvolvimento da terra e dos recursos naturais”– Christopher Guith, um alto funcionário da poderosa Câmara de Comércio dos EUA.

Mas grupos ambientalistas disseram que as mudanças dificultarão a proteção de ursos polares, recifes de corais e outras espécies.

A regulamentação permitirá a construção de estradas, minas, oleodutos e “outros projetos industriais em áreas de habitats críticos que são essenciais para a sobrevivência das espécies ameaçadas”, grupos que incluem o Sierra Club, Earthjustice, Conselho de Defesa dos Recursos Naturais e outros. uma declaração conjunta.

O que vem a seguir: Grupos ambientalistas e procuradores-gerais democratas de vários estados devem entrar com ações judiciais para bloquear as mudanças.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A administração Trump reduz proteções para espécies ameaçadas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV