Desmatamento consolidado: Amazônia perdeu 7.536 km² em 2018

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • A CNBB urge o governo a tomar “medidas sérias para salvar uma região determinante no equilíbrio ecológico do planeta”

    LER MAIS
  • Planeta em chamas. Artigo de Eliane Brum

    LER MAIS
  • 10 mapas e imagens de satélite internacionais que mostram a dimensão das queimadas no Brasil

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Junho 2019

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) divulgou ontem os dados consolidados do desmatamento na Amazônia Legal, que atualizam os dados preliminares, divulgados no final de 2018. A taxa revisada diminuiu e mostra que a Amazônia perdeu 7.536 km² de floresta. Esse valor é 4,61% abaixo da taxa estimada pelo PRODES em novembro de 2018, que foi de 7.900 km².

A reportagem é de Sabrina Rodrigues, publicada por ((o))eco, 26-06-2019.

Mesmo assim, é como se uma área de floresta um pouco menor que cinco cidades de São Paulo fosse derrubada em 12 meses.

O calendário do desmatamento vai de agosto de 2017 a julho de 2018. O resultado demonstra um aumento de 8,5% em comparação ao mesmo período do ano anterior, quando foram registrados 6.947km².

O Pará lidera como o estado que mais desmatou, sendo responsável por 36,4% do desmate ocorrido no período, seguido de Mato Grosso (19,8%), Rondônia (17,5%), Amazonas (13,9%) e Acre (5,9%).

Desmatamento 2018 [Consolidado]

Desde 2008, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) faz um esforço para divulgar os dados preliminares do desmatamento no final do ano, durante ocorrência de alguma COP do clima. A tradição de manter um calendário de divulgação começou na COP de Bali (COP-13), ainda durante a gestão de Marina Silva no Ministério do Meio Ambiente. No ano seguinte, entre julho e setembro, são divulgados os dados consolidados. Normalmente, a variação do dado preliminar para o total não ultrapassa 10% para mais ou para menos.

O INPE é o órgão responsável pelos dados oficiais do desmatamento na Amazônia brasileira.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Desmatamento consolidado: Amazônia perdeu 7.536 km² em 2018 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV