A empresa da Austrália que proibiu o trabalho às quartas-feiras

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco: “O que o Evangelho nos pede é ser povo de Deus, não elite de Deus”

    LER MAIS
  • “Eu fui nomeado o quê? Um carnaval” – a surpresa de um padre de 80 anos

    LER MAIS
  • “Não gosto da roupagem que colocam em nós cardeais, é cara e de príncipe”. Entrevista com o novo cardeal mexicano Felipe Arizmendi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


29 Mai 2019

Às quartas-feiras, enquanto a maioria de suas amigas está no trabalho, Tiffany Schrauwen pratica seu backhand em uma quadra de tênis. A gerente de projetos de Melbourne, na Austrália, tem uma aula com um professor particular às 9h.

Schrauwen não está desempregada. Por quase um ano, a agência de marketing digital Versa - onde ela trabalha - fecha as portas às quartas-feiras, dando a seus empregados uma semana de quatro dias com cinco dias de pagamento.

A reportagem é publicada por BBC Brasil, 28-05-2019.

Ali, os funcionários fazem turnos normais às segundas e terças-feiras e voltam ao trabalho às quintas e sextas-feiras. Não há reuniões agendadas para as quartas-feiras - no entanto, se um cliente tiver uma demanda urgente, todos estão disponíveis pelo telefone.

Quando Schrauwen foi informada sobre a mudança do expediente pela primeira vez, ficou animada. Mas então a empolgação inicial deu lugar à cautela. Ela passou a se preocupar sobre como a nova regra funcionaria na prática. Como gerente de projeto, Scharauwen é o principal ponto de contato tanto para os funcionários quanto para os clientes. É sua responsabilidade, portanto, lidar com quaisquer prazos perdidos, estresse ou ruídos de comunicação.

Mas os funcionários da Versa reorganizaram seu fluxo de trabalho para se tornar mais eficientes. As tarefas são concluídas no meio da semana, as reuniões são mais focadas e há menos tempo para as típicas conversas de corredor.

A cada duas semanas, a empresa também analisa o que funcionou e o que não funcionou.

"Todo mundo quer que funcione porque amamos ter essa flexibilidade", diz Schrauwen. "Se eu quero continuar fora do escritório às quartas-feiras, organizo minha semana melhor."

Para ler a íntegra da reportagem clique aqui.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A empresa da Austrália que proibiu o trabalho às quartas-feiras - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV