Tuítes revelam relação de apoiadores de Bolsonaro com religião

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Desgaste do discurso evangélico

    LER MAIS
  • Outro papa. Ratzinger, sua renúncia e o confronto com Bergoglio

    LER MAIS
  • ‘Eu serei sempre minoria’, diz padre Júlio sobre sua vocação em ajudar pobres e oprimidos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


20 Mai 2019

Pesquisa com mais de 2,2 milhões de postagens apontam citações a Deus, Jesus e satanás em citações relacionadas ao presidente.

A reportagem é de André Borges, publicada por O Estado de S.Paulo, 20-05-2019.

No dia 6 de setembro de 2018, Aline entrou em sua página do Twitter, indignada com os comentários que lia sobre a facada que o então candidato à presidência Jair Bolsonaro tinha acabado de levar, durante um ato de campanha que fazia em Juiz de Fora (MG). “Você que tá comemorando a facada no Bolsonaro, só digo uma coisa, que Deus perdoe sua alma”, escreveu.

As 17 palavras usadas em sua frase não incluíam qualquer menção a termos ligados à saúde ou à segurança do presidente. O contexto, basicamente, era religioso. A jovem Aline não era a única que faria clamores divinos pela internet. Naquele dia e nos que se seguiriam, dezenas de milhares de postagens similares invadiriam as redes sociais, envolvendo citações de fé e o nome de Bolsonaro.

A íntegra da reportagem pode ser lida aqui

O resultado revela que, em publicações com o termo Bolsonaro, palavras ligadas à religião sempre estiveram à frente de assuntos centrais em qualquer campanha eleitoral ou programa de governo, como educação, saúde, emprego ou transporte. O único termo que, nas citações que envolvem Bolsonaro, chega a fazer frente a menções religiosas é segurança.

Para Sergio Denicoli, diretor da AP/Exata, os dados explicam o fato de a religião ter sido incorporada à política do governo. “É um governo fervorosamente cristão e que tem dado à religião um peso grande para desenvolver suas políticas”, disse. “O governo Bolsonaro é reativo em relação ao que acontece nas redes sociais, é plenamente sensível ao que se passa nelas.”

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Tuítes revelam relação de apoiadores de Bolsonaro com religião - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV